i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Comércio

Água de coco gelada e um dinheirinho a mais

Com maior movimento nas praias, vender bebidas ou juntar latinhas de alumínio pode ajudar no orçamento familiar

  • PorGisele Eberspächer, especial para Gazeta do Povo
  • 01/01/2014 21:08

Matinhos

Vendas no período aumentam até 20% em relação a 2013

As vendas no município de Matinhos podem ter sido até 20% maiores do que no mesmo período do ano passado, segundo o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Matinhos (Acima), Adalto Mendes Lüders. Os números oficiais só são fechados no final da temporada, após o carnaval, mas o aumento deve ter sido de pelo menos 15%.

O movimento no comércio já estava crescendo cerca de 10% ao ano nos últimos anos, e o crescimento desse ano foi inesperado. Segundo Adalto, um dos motivos é a maior quantidade de pessoas vindo para o litoral. "O pessoal está com uma dificuldade maior para ir para outros lugares e vindo mais para o litoral do próprio estado", explica.

11 toneladas de lixo foram recolhidas da areia das praias de Pontal do Paraná, Matinhos e Guaratuba ontem. A coleta é feita por uma equipe de cerca de 160 pessoas a partir das 09h30. Além da coleta manual, a equipe conta com a ajuda de seis dumpers, que acumulam o lixo durante o trajeto da equipe, e seis saneadoras, que são usadas durante a noite para limpar a areia.

Com a chegada do Ano-Novo, os comerciantes do litoral do Paraná comemoram os dias de maior movimento nas praias. Cerca de dois milhões de pessoas se deslocaram até a costa do estado para passar o réveillon, 700 mil só em Matinhos. Com todo esse consumo em potencial, moradores da região aproveitam para lucrar.

O estudante Felipe Ferreira Hernandes e a mãe, Maria Cristina Veiga Ferreira, trabalham em uma barraca com venda de água de coco e bebidas na beira da praia de Matinhos. Os dois aproveitaram e abriram o espaço para a noite da virada, aproveitando o movimento do show do palco logo à frente deles. "As coisas que mais vendemos foram água de coco e água mineral. Chegou até a faltar no fim da noite", explica Felipe. Trabalhando apenas na temporada, de dezembro até o Carnaval, o dinheiro ajuda a família no resto do ano.

Uma maneira mais simples de conseguir um dinheirinho extra nessa época é recolher latinhas de alumínio. A faxineira aposentada Maria do Carmo Gomes é de Maringá, mas mora no litoral desde 2003. Um costume da família é aproveitar a época para recolher as latinhas. "Não é muito dinheiro, mas como vários da família ajudam, conseguimos recolher bastante coisa e trocar. Depois usamos parte do dinheiro para comprar uma carninha mais gostosa", explica.

Os comerciantes da região também comemoram. Tarso Linhares Tebchirani tem uma loja de conveniências na beira mar de Matinhos há três anos. Apesar de ficar aberto o ano inteiro, o pico de movimento é sempre na temporada. Tarso também calcula que o movimento já tenha sido bem maior esse ano, e estima um aumento de 40% das vendas em relação ao ano passado. "O pessoal começou a vir mais cedo para praia esse ano, já pelo dia 20 de dezembro. Ano passado o movimento só começou mesmo perto da virada", diz Tarso.

O movimento de veranistas também aumenta a vende de peixes. O pescador de Matinhos José Oliveira tem sua venda garantida durante o ano inteiro, atendendo principalmente restaurantes, mas prefere o movimento da temporada. "É legal quando as pessoas vêm, pedem indicações, pedem receita, e depois voltam para contar que gostaram", diz José.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.