i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Pais sempre alertas

De olho na criançada

Os pequenos príncipes e princesas que adoram construir seus castelos na beira da praia nem imaginam que esta simples brincadeira precisa ser muito bem supervisionada pelos pais

  • PorAna Letícia Genaro
  • 01/01/2009 21:03
Os irmãos Enzo e Luana com as primas Daniela e Marcela: creme meia hora antes de sair ao sol | Hedeson Alves/Gazeta do Povo
Os irmãos Enzo e Luana com as primas Daniela e Marcela: creme meia hora antes de sair ao sol| Foto: Hedeson Alves/Gazeta do Povo

Pele lisinha

Confira as dicas para manter a pele de seu pequeno sempre saudável:

> As micoses e bichos geográficos geralmente aparecem nas áreas úmidas do corpo.

O ideal é procurar manter essas partes do corpo secas.

> É importante que a criança ande sempre de chinelo e evite o contato direto com a areia.

> As brotoejas aparecem quando as crianças passam muito calor. Recomenda-se que elas vistam roupas leves e folgadas.

É preciso atenção para não deixar que transpirem muito.

> Proteja a criançada dos insetos com o uso de repelentes na pele. Prefira os produtos antialérgicos, para que a pele não fique irritada.

> Em caso de queimadura com água-viva, lave com a água do mar e vinagre. Não deixe que elas cocem ou esfreguem a parte atingida.

  • Veja que uma alimentação balanceada garante força para enfrentar o dia
  • Veja que o líquido ajuda a manter a hidratação
  • Proteja-se do sol com bloqueador, indispensável mesmo nos dias nublados
  • Fique sempre de olho nas crianças e não as deixe sozinhas perto da água

Verão é a temporada preferida da garotada. Época de viagens, passeios, dias quentes, muito sol e areia, piscina e mar. É também nesse período que os cuidados devem ser redobrados para que as crianças não sofram com as doenças típicas do calor.

O médico pediatra do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, Jefferson Puppi Wanderley, diz que as contaminações por alimentos estão entre os problemas mais recorrentes. "Com dias de altas temperaturas as comidas estragam com mais facilidade. Se ingeridas, podem causar vômitos e diarreia. Os pais precisam estar atentos e optar por comer em lugares que apresentem boas condições de higiene", alerta. A ingestão de água contaminada também pode desencadear a doença. Os pais devem cuidar para que as crianças não bebam a água do mar, principalmente em locais impróprios para banho. Uma alimentação equilibrada composta de frutas, verduras, legumes, carboidratos e proteínas é o ideal para suprir as necessidades de vitaminas e sais minerais dos pequenos.

A quantidade de líquidos ingerida também deve ser monitorada. No verão as crianças perdem muita água, que se não for reposta pode causar a desidratação. "A água deve ser consumida mesmo que a criança não peça. O ideal é a ingestão de quatro copos por dia e o suco é sempre melhor que o refrigerante", diz o médico pediatra.

Sol na cuca

A exposição prolongada ao sol é outro problema que atinge a criançada. "Corre-se o risco da insolação. É fundamental respeitar o período permitido de exposição aos raios solares: antes das 10 e depois das 16 horas", aconselha Wanderley.

O protetor solar com fator de proteção 30 – que faz bloqueio de 95% dos raios solares – é indispensável para proteger a pele dos pequenos. O rosto merece cuidados especiais. "O protetor deve ser reposto cada vez que a criança entra na água ou transpira demais", diz a médica pediatra do Hospital Universitário de Londrina da Universidade Estadual de Londrina, Cristina Mara da Silva.

Cuidados que a mãe de Enzo (1 ano) e Luana (4 anos) não esquece. "Eu sempre passo protetor solar nos meus fillhos meia hora antes de sair de casa. Se o sol esquenta, visto uma camiseta neles", explica Michele Gasparin Tosin, 28 anos, auxiliar de escritório.

Na primeira experiência com a filha de 11 meses na praia, a diretora administrativa de Pato Branco Eliane Tartari segue uma rotina e elenca algumas prioridades no cuidado com a pequena Isabeli. "Passo filtro solar fator de proteção 60 pelo menos quatro vezes durante o tempo em que ficamos na praia", diz. A mãe afirma que costuma respeitar os horários apropriados de exposição solar e leva sempre o guarda-sol para deixar a filha protegida. Eliane leva a menina até o mar, mas não a deixa muito tempo longe do guarda-sol. Procura lavá-la com água doce assim que deixa o mar. "Depois disso reaplico o protetor solar", conta.

Bumbum de bebê

As doenças de pele também merecem a atenção dos pais. As micoses e bichos geográficos geralmente aparecem nas áreas úmidas do corpo. O ideal é manter essas partes secas, andar sempre de chinelo e evitar entrar em contato direto com a areia. "É aconselhável colocar uma toalha, canga ou esteira para a criança sentar", aconselha a médica pediatra de Londrina.

As brotoejas aparecem quando as crianças passam muito calor. "Recomenda-se que elas vistam roupas leves e folgadas e é preciso atenção para não deixar que transpirem muito", recomenda o pediatra do HC.

Passeio tranquilo

As férias sempre começam com as viagens. Para pegar a estrada com a criançada, os pais precisam ficar atentos. "A segurança dos pequenos durante qualquer trajeto de automóvel precisa estar garantida. Para isso, eles devem estar sempre no banco de trás e para os menores de 2 anos é obrigatório o uso da cadeirinha", aconselha Alessandra Françóia, coordenadora do programa de formação de mobilizadores da ONG Criança Segura.

Ao caminhar na rua, elas devem estar acompanhadas e sempre conduzidas pelo pulso por um adulto. "Segurá-las pela mão facilita que elas se soltem e corram riscos de atropelamento", aconselha.

Bicicleta, patins e skate devem ser usados sempre em locais próprios e com equipamentos de segurança, como capacetes, joelheiras e cotoveleiras. Para evitar as quedas e suas possíveis lesões – como traumatismos cranianos –, as crianças devem brincar longe de escadas, sacadas e lajes. É fundamental também conferir se móveis e o tanque de lavar roupas estão bem fixados. "É muito comum as crianças brincarem perto ou sobre esses objetos e acabarem caindo ou derrubando-os em cima de si próprias, o que pode ser fatal", explica Alessandra.

Quando a garotada estiver na água, no mar ou na piscina, o cuidado deve ser redobrado. "Mesmo que de longe, é fundamental ter a supervisão total delas e escolher locais com a presença de salva-vidas. Sem esquecer do velho ditado: água no umbigo é sinal de perigo", alerta.

Novo ninho

Nas férias é muito comum que as crianças se hospedem em casas diferentes – que oferecem novos riscos. "Antes de soltá-las sozinhas é preciso eliminar os riscos que o local apresenta como objetos cortantes, tomadas, produtos de limpeza e janelas sem proteção", alerta a coordenadora. Recomenda-se também que as piscinas infláveis sejam esvaziadas logo após o uso para evitar afogamentos enquanto ninguém estiver observando.

Quanto aos fogos de artifício, Alessandra adverte que, em hipótese alguma, sejam manuseados pelos pequenos. "Os adultos devem guardar os produtos bem longe do alcance da criançada e, se puderem evitar o uso perto dos pequenos, melhor ainda", diz ela.

Pulseiras de identificação

Com o aumento do número de veranistas na beira da praia no verão é bastante comum que as crianças se percam das famílias. Para facilitar o encontro com os pais, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros já iniciaram a distribuição gratuita de pulseirinhas de identificação nas areias de todo o Litoral paranaense. As pulseiras têm o nome da criança e o telefone de contato dos responsáveis e são oferecidas para crianças de todas as idades, inclusive bebês.

Caso aconteça algum problema, o tenente Leonardo Mendes, relações públicas do Corpo de Bombeiros, aconselha que os pais procurem o quanto antes um dos 92 postos do Corpo de Bombeiros espalhados pelas praias ou os Postos Móveis da Polícia Militar.

* * * * * *

Interatividade

Você tem alguma dica de matérias sobre crianças no verão?

Escreva para verao@gazetadopovo.com.br ou deixe o seu comentário abaixo.

Sua sugestão pode fazer parte das próximas edições do Verão 2009!

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.