Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | /
| Foto: /

Seis pessoas morreram no trágico acidente na BR-277, em Morretes, causado pela explosão de um caminhão carregado com combustível. Uma delas foi Caroline Grassmann, a Carol, mãe de Maria Fernanda, de apenas 19 dias de vida – a menina tinha 17 no dia do acidente, domingo (3).

“Ela [a bebê] nasceu de novo no dia da morte dos seus pais. Essa criança deve ter uma missão muito importante neste mundo. Seus pais, que a salvaram, são verdadeiros heróis”, disse Zenilda Cordeiro, ao se referir a pequena Maria Fernanda. Zenilda é avó de Caroline.

Luiz, companheiro de Caroline, também morreu no acidente. Com o corpo pegando fogo, ele conseguiu salvar a filha ao tirá-la do veículo. “A Carol vai deixar saudades. Ela sempre nos trazia alegria”, disse Zenilda.

Depois de concluir o ensino médio, aos 18 anos, Caroline deixou a pacata cidade de Morretes, município litorâneo de pouco mais de 15 mil habitantes, para trabalhar na Região Metropolitana de Curitiba em uma rede de supermercados. De sorriso fácil, brincalhona, era definida por suas amigas como “uma pessoa tão maravilhosa, linda, sempre feliz”. A vida na cidade grande também trouxe um amor, Luiz.

Ela nunca escondeu o maior desejo de sua vida: ser mãe. Ainda criança, na casa da avó Zenilda, local onde ficava a maior parte do tempo, o zelo com as bonecas já revelava que seria uma boa mãe. Sonho que se realizou aos 22 anos, após ter feito um tratamento, pois tinha dificuldades para engravidar.

A alegria ficou completa com o nascimento de Maria Fernanda. Os dias ficaram ainda mais alegres para Caroline, que não se cansava de compartilhar as fotos da pequena com seus amigos e familiares. Neste fim de semana, ela e Luiz decidiram apresentar a bebê para os familiares em Morretes. Foi um dia de celebração em família. O almoço com a mãe, avó e as tias foi um perfeito dia em família.

Voltando para casa, Caroline e Luiz foram vítimas de uma tragédia após a explosão de um caminhão carregado com combustível no Km 33 da BR-277. Os dois morreram como heróis. Emocionado, o pai de Caroline, disse que sua filha estava vivendo o melhor momento de sua vida. “Até o último suspiro de vida, eles amaram a Maria Fernanda. Deram suas vidas por ela”.

No sepultamento, o tio de Caroline, Celso Cordeiro, entoou um cântico que dizia “E quando, enfim, chegar a hora em que a morte enfrentarei. Sem medo, então, terei vitória. Verei na Glória ao meu Jesus que vivo está”. Inicialmente, os familiares decidiram que a bebê vai ficar sob os cuidados da avó paterna, mãe de Luiz, mas mudaram de ideia e agora Maria Fernanda vai ficar com a avó materna, em Morretes.

“A Carol sonhava tanto com este momento. Mãe e filha ficaram apenas 17 dias juntas. Foram dias muitos intensos e de muito amor”, disse uma das tias de Caroline.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]