Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Detalhe do prédio da Câmara de Curitiba: cadeiras da Casa estarão em jogo nas eleições. | Jonathan Campos/Gazeta do Povo
Detalhe do prédio da Câmara de Curitiba: cadeiras da Casa estarão em jogo nas eleições.| Foto: Jonathan Campos/Gazeta do Povo

A pouco menos de um ano das eleições municipais, os partidos se articulam para montar chapas fortes na disputa por cadeiras na Câmara de Curitiba. As siglas buscam no “mercado” os chamados puxadores de votos, figurinhas conhecidas – algumas carimbadas – que ajudem a conquistar votos e aumentar as bancadas. Tem de tudo. Campeão do Big Brother Brasil, anão humorista, psicóloga cristã e radialistas. A Gazeta do Povo fez um levantamento e apresenta alguns dos nomes que certamente você deverá ouvir em 2016.

Cézar Lima (PSC)

vencedor do BBB 2015

Reprodução

Vencedor do Big Brother Brasil 2015, o paranaense Cézar Lima transferiu seu título de eleitor de Guarapuava para a capital e deve ser candidato a um cargo público em 2016, muito provavelmente a vereador. Lima conta ter recebido o convite de uma dezena de partidos para se filiar, mas optou pelo PSC por causa de Ratinho Jr., secretário estadual do Desenvolvimento Social e presidente da sigla no Paraná.

De acordo com o ex-BBB, seu nome está à disposição do partido. Cogita até sair como vice-prefeito em uma eventual chapa puro sangue. Ele, que já foi candidato a vereador em Guarapuava, afirmou que defenderá projetos assistenciais. “Sou formado em economia e me formo em Direito ainda este ano – tenho muito a contribuir com o processo democrático”, disse.

Claudinho Castro (PV)

ator e comediante

Mel Gabardo

O ator e comediante Claudinho Castro confirmou à reportagem que será candidato a vereador pelo Partido Verde (PV). Claudinho participou da campanha de Gustavo Fruet (PDT) para a prefeitura de Curitiba em 2012. Na mesma eleição, foi pré-candidato à Câmara Municipal, mas acabou não concorrendo. Hoje, trabalha na equipe das redes sociais da prefeitura. No começo de 2015 filiou-se ao PV e afirma que, se eleito, pretende viabilizar mais recursos para a manutenção e limpeza da capital. O ator também é um defensor da classe artística – da qual faz parte. “Quero fazer uma campanha sem demagogia e mostrar ao povo o que é ser vereador”, afirmou.

Juliano Borghetti (PP)

ex-vereador polêmico

Bruno Covello

Juliano Borghetti tenta voltar à Câmara Municipal – exerceu seu mandato de 2009 a 2012. Mas não será fácil. Terá de apagar a última imagem pública que deixou, ao participar da briga generalizada entre torcedores de Atlético e Vasco, em Joinville (SC), pelo Campeonato Brasileiro de 2013. Borguetti, que é irmão da vice-governadora Cida Borguetti, chegou a ser preso e proibido de frequentar estádios. De acordo com ele, já houve um convite formal, do PP mas a decisão ainda não foi tomada. “Preciso consultar família e amigos. Ninguém vence eleição sozinho”, comentou.

Marisa Lobo (SD)

psicóloga cristã

Guilherme Pupo/Folhapress

A psicóloga cristã Marisa Lobo disputou as eleições em 2014 como candidata a deputada federal pelo PSC, mas trocou a legenda pelo Solidariedade para tentar uma vaga na Câmara Municipal em 2016 numa possível chapa do ex-secretário de segurança e deputado federal Fernando Franchischini (SD) – que concorreria à prefeitura. Procurada pela reportagem, a psicóloga não retornou as ligações.

Filipe Recalcatti (PSD)

filho de delegado famoso

Reprodução/Facebook

O filho do delegado Rubens Recalcatti, Felipe Recalcatti, deve buscar uma vaga na Câmara Municipal pelo mesmo partido do pai, o PSD. Seu nome aparece na pré-chapa montada pelo partido para as eleições de 2016. Ele aposta na “notoriedade” do pai, suplente de deputado estadual e afirma que deve voltar sua atuação à área da segurança pública. O pai esteve preso recentemente sob a denúncia de ter participado da execução de um suspeito. Recalcatti nega as suspeitas e já está em liberdade.

Marcelo Fachinello (PTB)

jornalista esportivo

Reprodução/Facebook

O jornalista esportivo e apresentador das rádios Transamérica e E-Paraná deve ser um candidatos do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Fachinello disse à reportagem que a possibilidade existe, mas que ainda não confirmou a participação no pleito. Fontes do partido, porém, contam com o radialista para compor a chapa de candidatos a vereador.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]