i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
governo do estado

Após confrontos, base pressiona Richa a demitir secretários

Titular da Educação, Fernando Xavier Ferreira, é visto pelos deputados como o principal nome a ser substituído

  • PorRogerio Waldrigues Galindo
  • 03/05/2015 23:00
Fernando Xavier Ferreira: secretário da educação é visto pelos deputados como inadequado para a função. | Albari Rosa/Gazeta do Povo
Fernando Xavier Ferreira: secretário da educação é visto pelos deputados como inadequado para a função.| Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo

Os deputados que dão sustentação ao governo Beto Richa (PSDB) na Assembleia estão fazendo forte pressão para que o secretário de Educação, Fernando Xavier Ferreira, seja demitido do cargo. Na base do governo, ele é visto como um dos responsáveis pelo acirramento do clima entre o Palácio Iguaçu e os professores, que culminou na última quarta-feira com um confronto no Centro Cívico – foram 213 feridos depois do uso de balas de borracha, bombas de gás lacrimogêneo e cães policiais.

Rossoni: responsáveis por abusos da polícia devem ser exonerados.Albari Rosa

Embora o protesto dos professores na quarta-feira tivesse mais relação com a reforma da previdência - aprovada pelos deputados a pedido do governo - do que com a pasta da Educação, a visão dos deputados é de que Ferreira errou em vários momentos na condução da greve dos professores. Antes de mais nada, por ter sugerido vários cortes de direitos dos trabalhadores na primeira versão do pacote de ajuste fiscal, em fevereiro – os trechos foram depois retirados na segunda versão do pacote, aprovada na semana passada.

“Ele é difícil de conversar, não tem diálogo. E não é da área de educação”, diz um dos deputados descontentes. “É um bolha”, resume outro. Para os deputados, Ferreira não tem condições de gerir a secretaria. “Ele vem da iniciativa privada, é um excelente gestor. Mas quer aplicar no governo estratégias agressivas dos lugares por onde passou, cortando gastos de todo jeito. E sem dialogar. Não dá”, diz um parlamentar.

PM diz que cachorros morderam vítimas porque foram ameaçados

A Polícia Militar do Paraná (PM), via assessoria de imprensa, afirmou que os cachorros usados para conter manifestantes no protesto de quarta-feira (29) “só atacaram porque foram ameaçados”. O deputado Rasca Rodrigues (PV) e o cinegrafista da TV Band, Luiz Carlos de Jesus, foram mordidos por cães das raças pit bull e pastor belga que estavam com os

Leia a matéria completa

Neste fim de semana, o próprio presidente estadual do PSDB, deputado federal Valdir Rossoni, usou o Facebook para pedir a cabeça de Ferreira. “O secretário da Educação está fora do contexto da pasta. É um ótimo técnico, seria muito útil em outro área, mas não está preparado para a área da Educação”, disse.

Rossoni, no mesmo post, também admitiu o uso de força excessiva e desproporcional por parte da polícia na contenção dos manifestantes na quarta-feira e disse que todos os “responsáveis pelas atitudes desmedidas, pelos desmandos, pelos exageros” devem ser exonerados ou “pedir para sair”. Em nenhum momento, porém, disse o nome do secretário da Segurança Pública, Fernando Francischini.

Veja todas as notícias sobre a greve de professores no Paraná

Comandante das polícias, Francischini deixou de se pronunciar publicamente desde o confronto de quarta-feira. Entre os deputados estaduais, a impressão é de que a chance de ele cair é menor do que a de Ferreira. Mas isso não quer dizer que a sua permanência no posto esteja garantida.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.