i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
protestos

Atos pró-Dilma ocorrem nas principais cidades do país

    • Estadão Conteúdo Web e Agência O Globo
    • 20/08/2015 17:50
    Protesto em SP nesta quinta (20). | PAULO PINTO/AgÊncia PT
    Protesto em SP nesta quinta (20).| Foto: PAULO PINTO/AgÊncia PT

    Manifestantes ligados a centrais sindicais, partidos políticos e a movimentos sociais se reuniram no fim da tarde desta quinta-feira (20) no Largo da Batata, em Pinheiros, Zona Oeste em São Paulo, para protestar contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o ajuste fiscal promovido pelo governo federal. Participaram do protesto o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), a CUT e outras centrais sindicais, a União Nacional dos Estudantes (UNE) e outros movimentos sociais.

    “Fora, Cunha” marca ato a favor do governo Dilma em Curitiba

    Centenas de pessoas se concentraram na Praça Santos Andrade e saíram em caminhada pela região central da capital paranaense

    Leia a matéria completa

    Os manifestantes carregavam cartazes com a foto da presidente Dilma Rousseff com os dizeres “Dilma, Mãos de Tesoura”. Também são alvos dos protestos o vice-presidente, Michel Temer (que aparece como “Poderoso Chefão”); o ministro da Fazenda, Joaquim Levy (”O Lobo de Wall Street”); além de Cunha (”O Exterminador do Futuro”).

    Havia também cartazes dizendo “Abaixo o Golpe, Impeachment Não”, carregados por manifestantes ligados ao PCO.

    No Rio de Janeiro, integrantes do Sindicato dos Petroleiros chegaram à Candelária, no centro do Rio, com uma faixa em se lê: “Sérgio Moro: juiz da Globo e do PSDB!”. Várias pessoas passaram pela faixa e param para tirar fotos. Questionadas se concordam ou não com a frase, três pessoas abordadas pela reportagem não quiseram responder.

    Por volta das 17h30 os manifestantes seguiriam em caminhada pela Avenida Rio Branco até a Cinelândia. Entre os manifestantes estavam militantes do PT no Rio e em diversas cidades fluminenses, sindicalistas (a maioria ligados à CUT e a federações de petroleiros), integrantes do Movimento dos Sem Terra (MST) e estudantes. O ato é uma resposta aos protestos promovidos no último domingo, 16, que pediram a saída da presidente Dilma.

    Vários cartazes criticaram o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, acusado de fazer política “para os ricos”. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, também foram alvos de críticas.

    A caminhada do ato a favor da presidente Dilma em São Luís (MA) reuniu duas mil pessoas, de acordo a presidente da CUT, Adriana Oliveira, na tarde desta quinta-feira, 20. O clima era de tranquilidade, com a presença de vereadores e deputados do PT, membros do PCdoB e PDT. Os manifestantes gritavam palavras de ordem como “não vai ter golpe”.

    Em Fortaleza, apenas o MST, que é um dos organizadores do ato no Ceará, levou cerca de 500 pessoas para se juntar à manifestação pró-Dilma em Fortaleza. Em Natal, a caminhada faria o percurso até o shopping Midwayl Mall. A primeira estimativa da Polícia Militar é que 200 pessoas participariam.

    Em Belo Horizonte, manifestantes foram à Praça Afonso Arinos, Região Central da cidade, para o “Ato em Defesa da Democracia, dos Direitos, Contra o Ajuste Fiscal e Contra a Direita”. A expectativa dos sindicatos e associações que organizaram o protesto era que 15 mil pessoas participassem da manifestação. No último protesto que realizaram na cidade, em março, 2,1 mil pessoas estiveram na praça. Dois caminhões de som estão no local. “Não vai ter golpe”, gritam os manifestantes.

    Em Fortaleza, jovens ligados à UNE gritavam palavras de ordem como: “Coxinha golpista! O voto é uma conquista!” e “Levy mão de tesoura”. Luciano Simplicio, presidente da CTB-CE, disse que “a classe trabalhadora não vai aceitar golpe”. Ele pediu a saída de Eduardo Cunha. “Esse é o que tira direito da classe trabalhadora”, afirmou, em referência ao presidente da Câmara. Os manifestantes também portavam cartazes contra o PSDB.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

      Receba Nossas Notícias

      Receba nossas newsletters

      Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

      Receba nossas notícias no celular

      WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

      Comentários [ 0 ]

      O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.