Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
 | Antônio More/Gazeta do Povo
| Foto: Antônio More/Gazeta do Povo

O advogado do doleiro Alberto Youssef, Tracy Reinaldet, disse nesta quinta-feira (23) que o acordo de delação premiada é a melhor estratégia de defesa no caso investigado pela Operação Lava Jato. O advogado disse que, sem o acordo, a pena do doleiro poderia ultrapassar 100 anos de prisão. “Diante de uma operação tão bem montada como a Lava Jato ,talvez [a delação] seja a melhor estratégia de defesa”, disse Reinaldet. A colaboração do doleiro Alberto Youssef, porém, não foi fácil de negociar. De acordo com o advogado, algumas reuniões se estendiam até a madrugada para chegar a um ponto comum entre defesa e Ministério Público Federal. Segundo um dos procuradores da força-tarefa, a negociação durou cerca de cinco meses.

“Filme de terror” 1

Na atual circunstância,
não dá para simplesmente abandonar o governo. Assim como não se abandona um filho.

Rodrigo Rocha Loures, paranaense chefe de gabinete da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, sobre a aliança do PMDB com o PT.

O jornal inglês Financial Times publicou um editorial crítico sobre a atual situação política do Brasil e a recessão econômica enfrentada por aqui. Para o jornal, o país poder ser comparado a um “filme de terror sem fim”. “Incompetência, arrogância e corrupção abalaram a magia do Brasil”, registra o texto, que cita ainda o risco de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

“Filme de terror” 2

Já o ministro da Defesa, Jaques Wagner, rebateu: “Esse jornal nunca olhou para o Brasil com bons olhos. A adjetivação deles eu prefiro que eles guardem com eles. Nós estamos num filme de superação e, como todo filme de superação, é realmente um filme de dificuldades”.

Retrospectiva

O site do Senado destacou, entre as 24 sabatinas promovidas pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Casa no primeiro semestre, a do paranaense Luiz Edson Fachin (foto), ministro do Supremo Tribunal Federal. A Agência Senado diz que a sabatina se destacou pela duração e pela polêmica envolvendo Fachin, “que chegou ao Senado tendo de explicar uma suposta irregularidade na acumulação do exercício da advocacia privada com o cargo de procurador do estado do Paraná”. A sabatina durou quase 11 horas e Fachin rebateu qualquer irregularidade.

Para tratar do pedágio

O coordenador da bancada federal do Paraná, João Arruda (PMDB), vai levar três deputados estaduais que integraram a CPI do Pedágio na Assembleia Legislativa para uma audiência pública, programada para o dia 14 de agosto em Brasília, informa o blog Conexão Brasília, do jornalista André Gonçalves. Serão chamados Nereu Moura (PMDB), Péricles de Mello (PT) e Nelson Luersen (PDT). A audiência é a primeira agenda de uma série de reuniões para tratar da renovação antecipada dos contratos de pedágio no Paraná.

Nova política

A Câmara de Curitiba vai analisar em agosto projeto de lei que cria a Política Municipal de Economia Popular Solidária. A mensagem foi assinada nesta semana pela prefeita em exercício, Mirian Gonçalves. Levantamento do Ministério do Trabalho e Emprego mostra que em Curitiba há cerca de 400 empreendimentos solidários, com mais de 5 mil pessoas envolvidas nessas atividades.

Colaboraram: Luis Lomba, André Gonçalves, Kelli Kadanus e Bruna Maestri Walter.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]