i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Eleições 2012

Ducci ganha apoios de peso e tira adversário da eleição

PSD declara apoio formal ao prefeito. PTB também decide defender a reeleição e descarta a candidatura de Fabio Camargo. Falta agora Ducci definir o vice

  • PorKarlos Kohlbach e Felippe Aníbal
  • 24/06/2012 21:12
Gilberto Kassab, Beto Richa e Luciano Ducci, na convenção do PSD: governador disse que o PSDB abre mão de indicar o vice. E Ney Leprevost (com microfone) é um dos cotados | Walter Alves/Gazeta do Povo
Gilberto Kassab, Beto Richa e Luciano Ducci, na convenção do PSD: governador disse que o PSDB abre mão de indicar o vice. E Ney Leprevost (com microfone) é um dos cotados| Foto: Walter Alves/Gazeta do Povo
 |

Frente de Esquerda

PSol escolhe Bruno Meirinho para disputar a prefeitura de Curitiba

Rodolfo Bührer/Arquivo/Gazeta do Povo

Meirinho: candidato de novo.

O PSol oficializou ontem a candidatura do advogado e ex-líder estudantil Bruno Meirinho a prefeito de Curitiba. Ele já disputou o cargo em 2008. A legenda também definiu a coligação com o PCB. Chamada "Frente de Esquerda", a coalizão promete, ao longo da campanha, denunciar o "mito da cidade modelo". A professora universitária Sueli Fernandes, da UFPR, foi indicada como candidata a vice-prefeita.

Quanto mais concorrentes, mais críticas ao prefeito

Sandro Moser e Katna Baran, especial para a Gazeta do Povo

A estratégia da campanha do prefeito Luciano Ducci (PSB) de conquistar o maior número de apoios partidários, além de somar tempo de tevê e cabos eleitorais, tem outro efeito importante: evita que mais concorrentes entrem na disputa pela prefeitura. Como Ducci é o prefeito, a tendência é que seja criticado pela maioria dos adversários, que apontarão erros da administração municipal. Com menos adversários, sofrerá menos críticas e consequentemente o desgaste será menor durante a campanha.

A tendência dos concorrentes em apontar erros da atual gestão ficou clara neste fim de semana em duas convenções partidárias que oficializaram adversários de Ducci. Tanto Gustavo Fruet (PDT) quanto Rafael Greca (PMDB), em suas declarações, indicaram que irão mostrar erros da prefeitura e apontar soluções para eles.

Devolver a cidade

Fruet disse que há uma "estagnação desse modelo de planejamento [o da gestão Ducci]". E destacou que a cidade precisa avançar nas áreas de saúde, segurança e transporte.

Greca também teceu críticas, especificamente, à saúde municipal. "Minha obrigação é devolver a cidade para os pobres que estão abandonados nas portas dos postos de saúde", disse ele durante a convenção peemedebista, no sábado. A melhoria do atendimento médico na cidade deve ser um dos motes da campanha de Greca. A escolha da vice dele indica isso: Marinalva Gonçalves da Silva é profissional da área da saúde.

O prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB), saiu do fim de semana de convenções partidárias com mais dois partidos importantes em sua chapa de reeleição – o PSD e o PTB – e um adversário a menos nas urnas: o deputado petebista Fabio Camargo. Agora, resta a Ducci fechar o nome do vice, que deve ser definido até o próximo sábado.

Os mais cotados para a vaga são o deputado estadual Ney Leprevost (PSD) e o deputado federal Rubens Bueno (PPS). O PSDB, que tinha a opção do deputado federal Fernando Francischini, saiu do páreo. O governador Beto Richa (PSDB) disse no sábado que o partido abriu mão de indicar o vice. Segundo Richa, é preciso dar oportunidade para outros partidos. O ex-vereador Osmar Bertoldi (DEM) corre por fora com o apoio de parte da base de vereadores, mas nos bastidores já é considerado quase carta fora do baralho.

Kassab

Leprevost foi lançado oficialmente como concorrente à vaga de vice na convenção municipal de seu partido, no sábado. E teve um cabo eleitoral de peso: o presidente nacional do PSD e prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

Nos bastidores, porém, comenta-se que, do ponto de vista estratégico, Rubens Bueno seria um nome melhor que Leprevost para o prefeito. Isso porque, ao compor a chapa de Ducci, o PPS deixaria de lançar a vereadora Renata Bueno como candidata à prefeitura. Mas a negociação com o PPS tem sido mais difícil. A postura na Câmara Municipal de Renata Bueno, filha de Rubens, também atrapalha. No ano passado, ela chegou a chamar os colegas vereadores de "bando de gentalha"; e a composição de Ducci com o PPS poderia desgastar a relação do prefeito com sua base.

Petebistas

A convenção municipal do PTB decidiu, no sábado, que o partido irá apoiar o PSB de Ducci. O deputado estadual Fábio Camargo queria ser o candidato do partido. Mas não conseguiu convencer os correligionários. Com isso, além de ganhar o apoio do PTB, Ducci terá um adversário a menos na eleição de outubro.

Outro partido que realizou convenção no fim de semana e que fechou com o prefeito foi o PTC. O PSB de Ducci agora conta oficialmente com o apoio de quatro partidos (o PSL também formalizou a coligação, além do PSD, PTB e PTC). Nesta semana, o prefeito espera oficializar aliança com mais nove legendas: PSDB, DEM, PP, PHS, PRP, PRB, PSDC, PMN e PTN.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.