i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Eleições 2010

Candidatura de Iris Simões é barrada pela Lei da Ficha Limpa

Ex-deputado federal foi condenado por abuso do poder econômico e uso irregular dos meios de comunicação em 2006

  • PorGladson Angeli
  • 23/08/2010 16:36

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) indeferiu, nesta segunda-feira (23), o registro de candidatura do ex-deputado federal Iris Simões. Por maioria dos votos, os desembargadores consideraram que Simões se enquadra na Lei da Ficha Limpa por já ter sido condenado em uma ação definitiva. Ele vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para permanecer na disputa por uma vaga na Câmara Federal pelo Partido da República.

Iris Simões foi condenado em 2006, junto com seu irmão, o ex-deputado estadual Carlos Simões, por abuso do poder econômico e uso indevido dos meio de comunicação para campanha eleitoral. Pela condenção, Iris Simões ficou inelegível por três anos, de 2006 a 2009. No entanto, a Lei Complementar 135/2010, conhecida como Lei da Ficha Limpa, ampliou para oito anos o período de inelegibilidade nestes casos.

O advogado Rodrigo Lichtenfels, que representa Iris Simões, afirma que seu cliente não é contrário a Lei da Ficha Limpa, mas entende que ele já cumpriu a condenação. "Ele respeita a decisão, no entanto vai recorrer por que já cumpriu a sentença de três anos e agora esse prazo está sendo estendido", afirmou.

Iris e Carlos Simões foram condenados pelo uso de um programa de televisão para promover suas candidaturas antes do período permitido pela legislação eleitoral em 2006. O processo, proposto pelo Ministério Público Eleitoral também argumentava que os políticos teriam feito doações de diversos itens, como inaladores, fraldas, cadeiras de rodas e dentaduras, as quais teriam sido divulgadas no programa "Casa do Povo". Eleito deputado estadual, Carlos Simões teve o mandato cassado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.