Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado

Na primeira entrevista coletiva após o anúncio de um segundo turno para eleição presidencial, a candidata do PT, Dilma Rousseff, avaliou que o crescimento de Marina Silva (PV) na reta final da campanha tirou votos dela e do candidato tucano José Serra. "Eu acho que, sem sombra de dúvidas, a candidata Marina fez uma campanha qualificada e capturou uma parte dos votos, tirou também do meu adversário", disse.

Dilma contou ter telefonado para Marina Silva hoje e a "parabenizou" pelo desempenho. Segundo a petista, Marina manteve ao longo da campanha, "um nível elevado, jamais tendo nenhuma atitude de baixar o nível". "Respeito a Marina militante política e acredito que tenhamos mais proximidade que diferenças", afirmou.

A candidata observou ainda que o desempenho do PT nas eleições passadas, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi eleito e depois reeleito, a votação no primeiro turno também terminou com 46% e 47% dos votos para a campanha petista.

Ao comentar sobre as propostas que pretende abordar nesta segunda etapa da campanha, Dilma citou saúde, educação, segurança pública e desenvolvimento sustentável, esta última, uma das principais bandeiras da candidata verde. "Eu tenho um compromisso, esse compromisso é com o governo do desenvolvimento sustentável, mas também um modelo de desenvolvimento que faça o Brasil crescer a taxa elevadas", afirmou.

Comparação

Dilma também insiste na comparação entre o governo de Fernando Henrique Cardoso e o de Lula. Para ela, o segundo turno de uma campanha presidencial não pode ser igual ao primeiro. Exige uma discussão sobre qual o melhor modelo de governo para o País.

"Temos dois parâmetros. Um é o modelo de desenvolvimento do presidente Fernando Henrique Cardoso. Foi esse o governo de que ele (Serra) participou. Quem garante que não vai repeti-lo?", alfinetou. "O segundo modelo é o do presidente Lula", acrescentou. Não basta querer transformar a eleição numa disputa de prefeitura ou de um ministério. É preciso debater propostas, discutir um projeto de país", disse.

Dilma fala à imprensa no hotel Royal Tulip Alvorada, em Brasília acompanhada de dezenas de candidatos governistas eleitos ontem, dentre eles Marta Suplicy, senadora eleita pelo PT, Eduardo Campos (PSB), reeleito governador de Pernambuco, e Renato Casagrande (PSB), eleito governador do Espírito Santo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]