Após a vitória de Dilma Rousseff à Presidência da República, a vida do administrador aposentado Robério Simionato mudou. Vizinho de Dilma, ele criou há dois dias um comitê de imprensa improvisado e acolhe jornalistas que passam o dia na porta da casa da nova presidente, na região do Lago Sul, em Brasília.

O aposentado abriu as portas da garagem de sua casa para que equipes de imprensa pudessem se proteger das chuvas constantes. Além disso, seu Robério, como gosta de ser chamado, também oferece água, mesas, cadeiras, energia elétrica e banheiro aos profissionais. "Tenho um espírito de solidariedade. Além disso, sou de família italiana e por isso gosto de me relacionar com as pessoas".

Segundo ele, para executar um bom trabalho, é preciso ter estrutura. "Trabalhei muitos anos com logística e achei que vocês [da imprensa] não tinham isso [estrutura]. Aconteceu naturalmente, ninguém pediu para eu fazer isso. Acho que este momento é uma integração cívica. Faz parte da hitória e estou participando".

Vice-síndico da rua, ele não conhece Dilma pessoalmente e soube que a presidente eleita morava lá porque recolhe uma quantia mensal entre os moradores para pagar um segurança particular para a rua. "Não a conheço, mas votei nela. Votei porque ela tem um projeto político que vai ao encontro do projeto de Lula".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]