São Paulo - O office-boy Ademir Estevam Cabral – acusado pelo contador Antonio Carlos Atella Ferreira de ter participado da quebra de sigilo fiscal da filha de José Serra – negou ontem em depoimento à polícia de São Paulo ter ajudado na falsificação da procuração que foi usada para acessar ilegalmente os dados sigilosos de Verônica Serra.

Cabral compareceu à polícia espontaneamente, sem ser intimado. Já Atella, filiado ao PT que entrou com a procuração falsa em nome de Verônica na Delegacia da Receita em Santo André (no ABC Paulista), que havia sido convocado para depor ontem, não apareceu.

O office-boy Ademir Esta­­vam Cabral disse que não foi ele quem entregou a Atella a procuração falsificada que permitiu o acesso aos dados de Verônica na agência da Receita Federal de Santo André. Na semana passada, Atella havia dito que pegou a procuração falsa com Cabral.

Casa humilde

O office-boy trabalha em um escritório de contabilidade no centro de São Paulo e mora numa casa humilde em Fran­­cisco Morato, município da Grande São Paulo. Desde que Atella o havia envolvido no caso, Cabral não havia retornado nem para o escritório e nem para casa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]