A confirmação da vitória de Dilma Rousseff tornou mais explícitas as disputas por cargos importantes tanto no primeiro escalão do futuro governo quanto no Legislativo. Ontem, os deputados Cândido Vaccarezza (PT-SP) e Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), os dois mais prováveis candidatos à presidência da Câmara dos Deputados, reuniram-se para discutir como os seus partidos irão para a eleição interna.

Atual líder do governo na Casa, Cândido Vaccarezza, disse que o PT quer que a escolha do novo titular seja de consenso com o PMDB. "Não deve haver disputa entre PT e PMDB", afirmou. "Quero ser um elemento de composição de acordo e de ajuda", disse Vac­­ca­­rezza. O líder admite que o nome dele não é consenso no PT e que existem outros candidatos. Segundo ele, até o final de novembro o PT escolherá o nome do partido para a presidência da Câmara.

Enquanto a eleição interna não chega, porém, Vaccarezza traça os pontos prioritários para votação na Câmara até o fim do ano. Para o líder governista é necessário começar desde já a discussão da proposta de orçamento da União para 2011 e votar o projeto que define o marco regulatório do pré-sal, além das 12 medidas provisórias que trancam a pauta da Câmara. O deputado reconhece que o calendário é apertado para as votações, já que serão apenas 11 dias de votação até o recesso parlamentar de dezembro.

Vaccarezza afirmou que conversará com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, para definir outros projetos de interesse do governo que deverão ser colocados em votação antes do final do ano. E ressaltou a importância da aprovação do projeto do pré-sal, lembrando porém que o orçamento não pode deixar de ser votado este ano.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]