| /
| Foto: /

Ausente do Congresso Nacional desde a semana passada, o líder da bancada do PT na Câmara, Sibá Machado (AC), virou alvo dos colegas por ter viajado aos Estados Unidos em plena época de ameaça de abertura de processo de impeachment contra Dilma Rousseff e de discussão sobre o pacote de reequilíbrio das contas públicas.

Reservadamente, petistas dizem considerar a viagem inoportuna, além de fragilizar ainda mais uma bancada que vêm sofrendo derrotas seguidas desde que Eduardo Cunha (PMDB-RJ) assumiu a presidência da Câmara, em fevereiro.

Em sua página no Facebook a última postagem de Sibá até a tarde desta quarta era da quinta-feira (10) informando que ele encontrava-se em missão oficial nos Estados Unidos visitando a Universidade de Harvard e o Massachussets Institute of Technology (MIT) “com a proposta de abrir diálogos para futuras parcerias com as Universidades da Amazônia.”

O texto dizia ainda que ele participaria em Washington da Missão Interparlamentar da Câmara de Comércio Americana para discutir inovação em saúde.

A viagem terminaria nesta quarta. Algumas horas após o deputado ser contactado pela Folha, foi postado em seu perfil na rede social na noite desta quarta duas postagens críticas às tentativas de impeachment contra Dilma.

Em seu lugar na Câmara, Sibá deixou interinamente o deputado Ságuas Moraes (PT-MT), integrante do chamado “baixo clero”, contingente de deputados com escassa projeção nacional.

Na sessão plenária da Câmara de terça, quando a oposição diz ter dado o pontapé inicial do impeachment ao questionar formalmente a Mesa sobre como se dará o rito do processo, coube ao PC do B tomar a linha de frente da defesa de Dilma -em maior projeção do que o PT, embora tenha uma bancada bem menor (13 contra 63).

Por meio de sua assessoria, Sibá defendeu a importância da viagem e afirmou que missões ao exterior “integram o rol de atividades dos parlamentares”.

“A viagem aos Estados Unidos, a convite da Câmara de Comércio Brasil/EUA, é importante para o fortalecimento da parceria bilateral em diferentes áreas de cooperação. Um dos focos da agenda é inovação em saúde, tema de interesse estratégico para o Brasil. A missão é integrada por oito parlamentares. Minha ausência não interfere no andamento dos trabalhos da bancada, que é conduzida pelo vice-líder Ságuas Moraes (PT-MT) e pelos demais vice-líderes.”

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]