Por recomendação do Itamaraty, as representações diplomáticas brasileiras no exterior deverão usar apenas metade dos recursos disponíveis a cada mês para despesas de custeio. No geral, o corte mensal que atinge toda a administração federal foi de um terço e vale até a aprovação da lei orçamentária de 2015, conforme decreto presidencial publicado em 8 de janeiro. Mas para as embaixadas a redução foi mais drástica. Em circular distribuída na última quarta-feira, o Itamaraty determina a redução pela metade de sete tipo de despesas. Uma delas diz respeito ao pagamento a empresas que prestam serviços como limpeza, internet e segurança. Outra despesa que deverá ser cortada, mas que é bem menos usada, é o pagamento a pessoas físicas, como a um jardineiro, por exemplo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]