i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Publicidade

Estatal de energia é palco de disputa política em Minas

O Ministério de Minas e Energia começou a veicular uma propaganda chamando de "falsa" a informação divulgada pela Cemig

  • 19/04/2014 06:30

A autorização pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), na semana passada, do reajuste de 14,24% da tarifa de energia elétrica para os consumidores residenciais da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) iniciou uma batalha travada tanto nas TVs e rádios quanto na Justiça entre o governo de Minas Gerais, do PSDB, partido do senador e pré-candidato a Presidência, Aécio Neves, e o governo federal da petista Dilma Rousseff, adversária do tucano na disputa eleitoral deste ano.

Nos veículos de comunicação mineiros, o Ministério de Minas e Energia começou a veicular, na quarta-feira passada, propaganda chamando de "falsa" a informação divulgada pela Cemig de que o aumento da conta de energia elétrica no Estado é de responsabilidade da União.

Na peça publicitária, um ator ressalta que a estatal mineira pediu à Aneel a autorização para reajustar os preços da tarifa de energia em 29,74%, mas que o órgão federal autorizou aumento de 14,24%. "Ressalte-se, que este é o índice máximo. O reajuste nas contas de luz pode ser menor por decisão da Cemig e do governo mineiro. Hoje, grande parte dos consumidores mineiros paga uma alíquota de até 30% de ICMS (Imposto Sobre Comercialização de Mercadorias e Serviços), o maior do País", dispara o ator.

O PT já havia recorrido à Justiça Eleitoral acusando a Cemig de fazer propaganda eleitoral antecipada contra o partido em publicidade institucional veiculada pela companhia para explicar o reajuste da tarifa, mas a liminar foi negada pelo desembargador Paulo Cezar Dias, do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), que considerou não haver "a alegada conotação eleitoral da publicidade".

"O PSDB mineiro parece não ter limites nas reiteradas tentativas de enganar a população com falsas propagandas", afirmou em nota o presidente do PT mineiro, deputado federal Odair Cunha. Ele também se refere ao material de divulgação veiculado pela Cemig no qual o ator Jonas Bloch afirma que "quem define a tarifa de todas as empresas de energia é um órgão do governo federal, a Aneel, que fica lá em Brasília". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.