Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Vida Pública
  3. Ex-prefeito e ex-procurador-geral de Quatro Barras são acusados de desviar dinheiro

Ação do Ministério Público

Ex-prefeito e ex-procurador-geral de Quatro Barras são acusados de desviar dinheiro

Cheque de R$ 56 mil que deveria ser pago ao dono de um terreno que foi desapropriado no município foi depositado na conta corrente do ex-procurador da cidade, segundo o Ministério Público

  • Gazeta do Povo
  • Atualizado em às
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O ex-prefeito de Quatro Barras, na região metropolitana de Curitiba, Roberto Adamoski, e o ex-procurador-geral do município, Otélio Renato Baroni são acusados de desvio de dinheiro, cometido em fevereiro de 2008.

Uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa foi apresentada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) nesta quinta-feira (24). Segundo o órgão, há dois anos, o então procurador, com o aval do prefeito da cidade, ficou com R$ 56 mil que deveriam ter sido pagos ao proprietário de um terreno que foi desapropriado pelo município. O cheque que deveria ser entregue ao dono do imóvel, acabou debitado na conta de Baroni.

Ainda de acordo com o MP, o ex-procurador chegou a devolver a quantia desviada quando soube que estava sendo investigado. Com isso, ele estaria tentando anular a irregularidade.

Além da devolução do dinheiro desviado, o ato de improbidade pode resultar em multa, suspensão dos direitos políticos e afastamento da função pública.

Adamoski foi prefeito de Quatro Barras durante dois mandatos, entre 2001 e 2008. Baroni é o atual prefeito de Jaguariaíva, na região central do Paraná. A reportagem tentou contato com Adamoski, mas não obteve sucesso. Já Baroni, por meio de assessoria de imprensa, informou que, até as 19h, não havia sido notificado da ação civil pública. Ele declara que reconhece a acusação e que o depósito incorreto já foi restituído. O ex-procurador ainda diz que assume a responsabilidade pelos atos dele e por possíveis sanções que ele possa responder.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE