Divulgação |
Divulgação| Foto:

O PSDB ainda juntava ontem os cacos após a derrota de José Serra para Dilma Rousseff (PT) no domingo, quando os líderes do partido tiveram de sair a campo para apagar os focos de "fogo amigo" que surgiram em algumas partes do país. Um dos princípios de incêndio foi causado pelo coordenador do programa de governo de José Serra, Xico Graziano (foto). Pelo Twitter, o ex-secretário do governo paulista questionou a surpreendente derrota de Serra em Minas Gerais com um ataque indireto ao senador eleito Aécio Neves. Aos internautas, Xico Graziano escreveu: "Per­­de­­mos feio em Minas Gerais. Por que se­­rá?!" O presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, condenou o comentário de Graziano e tratou de jogar água na fervura tucana. Para Guerra, Graziano foi injusto. "O Xico é um companheiro nosso, um grande quadro, mas está completamente equivocado. Não falei com ele, mas ele está errado."

Aliás...

Os tucanos de Minas se eximiram ontem de responsabilidade pela derrota de Serra no estado. O PSDB acreditava que o senador eleito Aécio Neves reverteria a vantagem porcentual de Dilma. No Brasil, a petista venceu com 56,05% dos votos ante 43,95%; em Minas, o placar foi 58,45% a 41,55%. A estratégia mineira é pregar a unidade do partido e o fim da "hegemonia de quem quer que seja" – num recado aos tucanos de São Paulo.

Prazo final

Hoje é o prazo final para a prestação de contas final da campanha dos candidatos, partidos políticos e comitês financeiros que concorreram no primeiro turno das eleições deste ano. Não precisam prestar contas quem disputou o segundo turno. Um terço das contas que a Justiça Eleitoral espera receber já foi entregue e processado.

Transição

Michel Temer não vai renunciar à presidência da Câmara Federal, mas pretende se dedicar à transição do governo, deixando o dia a dia da Casa com Marco Maia (PT-RS). Maia tentará consolidar seu nome dentro do partido como candidato à sucessão de Temer no biênio 2011-2012, mas deve brigar pela indicação com outros dois petistas: Cândido Vaccarezza (SP) e Arlindo Chinaglia (SP). Além disso, o PMDB também pretende brigar para ficar com o cargo, mesmo tendo eleito uma bancada menor que o PT. Foram eleitos 88 deputados petistas e 79 peemedebistas.

Xaxado

O vice-presidente José Alencar (foto) não pode votar ontem por estar internado em um hospital em São Paulo, mas ligou para Dilma após a vitória. A petista pro­­me­­teu a Alen­­car que celebraria a vitória a seu lado "dan­­çan­­do um xaxado" em homenagem a Lula e ao Nordeste. O convite havia sido feito por Alencar meses atrás. Na sexta-feira, o vice havia recebido a visita do presidente Lula . "Nós su­­bimos a rampa, juntos e vamos des­­cer juntos", disse Lula. O vice-presidente, que enfrenta um câncer na região abdominal há mais de dez anos e já passou por mais de 15 ci­­rur­­gias, está sofrendo com os efeitos co­­­la­­te­­rais do novo tratamento.

Pinga-fogo

"Quero ser o presidente do maior ao menor partido, independentemente de quem seja da oposição ou do governo."

Henrique Eduardo Alves, deputado federal (PMDB-RN), que pretende conseguir apoio do DEM para conseguir votos para conseguir ser eleito presidente da Câmara Federal.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]