i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
ESCOLAS

Governo do PR quer mudar eleição de diretores de escolas

  • PorCatarina Scortecci
  • 19/08/2015 22:00
Sala de aula: mudanças nas eleições nas escolas. | Jonathan Campos/Gazeta do Povo
Sala de aula: mudanças nas eleições nas escolas.| Foto: Jonathan Campos/Gazeta do Povo

Depois da queda-de-braço entre governo do Paraná e o sindicato dos servidores da educação, no primeiro semestre, há uma nova polêmica à vista. A possibilidade de mudança nas regras das eleições para diretores de escolas estaduais, prevista para novembro, tem gerado discussão.

Na quarta-feira (19), o deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PMDB), líder da base aliada na Assembleia Legislativa, admitiu que o governo do Paraná estuda “universalizar” a escolha dos diretores.

Felipe Francischini pede revogação de título de cidadão honorário de Dirceu

Leia a matéria completa

Na prática, significa que o peso do voto dos professores e dos funcionários será reduzido, na comparação com o modelo em vigor.

Pela regra atual, pais e alunos têm 50% dos votos. A outra metade cabe a professores e funcionários. A proposta em estudo pelo governo autorizaria o voto com peso individual. “Nós queremos universalizar a eleição. Cada pessoa é um voto”, afirmou Romanelli.

Um projeto de lei será enviado ao Legislativo, estabelecendo a nova regra.

O diretor de Comunicação da APP-Sindicato, Luiz Fernando Rodrigues, disse que para a entidade a medida estudada pelo Executivo parece uma tentativa de transformar “diretores em aliados” e impedir situações como a greve deste ano.

“Quando se universaliza a eleição, as influências externas sobre o processo aumentam”, reforçou Rodrigues.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.