i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Congresso

Mesmo sem acordo com PMDB, Ideli diz garantir votação do Marco Civil

  • PorFolhapress
  • 17/03/2014 18:47

Após a reunião com o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha, realizada na noite desta segunda-feira (17) para discutir a votação do projeto do Marco Civil da Internet, a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) afirmou que as negociações em torno da matéria ainda não foram esgotadas mas garantiu que mesmo assim ele será aprovado nesta semana. "Esta é uma matéria muito relevante para o país, onde o Brasil sinaliza para o mundo um posicionamento extremamente importante no sentido de ter uma liberdade para a internet para os usuários", afirmou. De acordo com Ideli, a Câmara poderá analisar o projeto depois de na quarta-feira (19).

Além de Ideli, também estavam presentes na reunião o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) e o vice-presidente, Michel Temer, que tem sido escalado pelo governo para tentar controlar o aliado. A posição da ministra após a reunião foi divergente do que o conversado com líderes da base aliada do governo no Senado. Durante a tarde, Ideli afirmou aos senadores que só votaria o projeto se houvesse acordo e descartou qualquer tentativa de votação para esta semana.

A ministra garantiu que o governo não irá recuar e retirar a urgência do projeto porque o Brasil sediará uma conferência internacional sobre internet em abril. "Esta é uma matéria extremamente importante, tão importante que o Brasil vai sediar, em abril, uma conferência com vários chefes de Estado e por isso que nós entendemos que é um assunto relevante, complexo, mas de fundamental importância que possa evoluir e ter a sua aprovação na Câmara", explicou.

A ministra não detalhou quais pontos do projeto foram discutidos com Cunha durante a reunião. Ideli afirmou apenas que o governo não abrirá mão dos principais pontos do projeto, como a questão da neutralidade da rede, que é questionado por Cunha.

Segundo Cardozo, o governo continuará dialogando com o PMDB para acertar a votação. "Tivemos um diálogo muito importante e estaremos mantendo o diálogo não só com o PMDB mas com todos os partidos", disse.

Cunha foi chamado ao Palácio do Planalto depois de comandar uma revolta de aliados contra Dilma Rousseff, para negociar a votação do Marco Civil. O peemedebista é um dos principais opositores ao projeto, cuja relatoria é feita pelo PT.

Caso as negociações não avancem, o Planalto poderá ver mais uma derrota na Câmara. Na semana passada, os rebelados aprovaram a criação de comissão para acompanhar investigações sobre supostas irregularidades na Petrobras, além de chamar 10 dos 39 ministros para dar explicações ao Congresso.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.