i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Transição

"Não posso indicar ministro", diz Lula sobre montagem do governo Dilma

"Se eu pudesse pedir uma vaga, ia pedir para mim", brincou. Ele fez afirmação ao lado do ministro Haddad, em evento de educação

  • PorG1/Globo.com
  • 29/11/2010 13:02

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira (29) que não pode nomear ministros no governo de Dilma Rousseff e brincou, dizendo que, se pudesse, pediria uma vaga para ele mesmo.

A declaração foi dada ao lado do ministro Fernando Haddad em uma cerimônia para o lançamento de 30 escolas federais de educação profissional e 25 campis de 15 universidades.

Lula fez a afirmação logo depois de dizer que não sabe se Haddad vai continuar na pasta da Educação no futuro governo.

"Não posso indicar ministro. Se eu pudesse pedir uma vaga, ia pedir pra mim, mas como não posso...", afirmou o presidente para risos da platéia.

O presidente disse que Dilma vai "surpreender positivamente" e defendeu que ela tenha a liberdade para montar o ministério como preferir.

"Sou defensor da idéia de que a Dilma monte o governo com a sua cara e sua semelhança. Se você monta o time de futebol e não comanda os jogadores, um jogador derruba até o técnico, então é importante que o técnico controle a equipe", afirmou.

Lula brincou ainda que nomear ministro é bem mais fácil do que demitir depois. "Ministro é bom para colocar. Para tirar é duro. Só dá para tirar se o ministro quiser ser deputado. Aí, o ministro chega e diz: 'é fundamental que eu saia'. Mas quando você quer tirar, ele diz: 'eu? Por quê?'".

O presidente falou da campanha presidencial dizendo que Dilma foi vítima de preconceito. "Esta campanha teve um ódio mais forte do que contra mim em 2002 e 2006. Eu não pensei que existisse ainda com tanta força essa doença chamada preconceito", disse.

A cerimônia serviu para fazer uma espécie de balanço da área de educação no governo Lula. O presidente fez críticas a seus antecessores, afirmando que a educação antes era vista como gasto e não como investimento. Ele culpou ainda a falta de investimentos na área pela transformação de jovens em bandidos.

"Não colocar dinheiro na educação criou em 20 anos neste país um exército de jovens que não tiveram oportunidade e hoje, com 25 anos, estão sendo presos (...). Eles não nasceram bandidos, eles foram transformados em bandidos por políticas equivocadas, por visões errôneas", disse Lula.

Em sua exposição, o ministro Haddad destacou a atuação no governo na área e afirmou que todos os objetivos lançados pelo Plano Nacional de Desenvolvimento da Educação em 2007 foram cumpridos, entre os quais a ampliação dos campi universitários e a inauguração de escolas técnicas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.