Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Vida Pública
  3. Partido Pirata faz encontro nacional hoje em Curitiba

nova sigla

Partido Pirata faz encontro nacional hoje em Curitiba

  • Guilherme Voitch
Fabrício Leal de Souza, coordenador dos “piratas”: legenda libertária de esquerda |
Fabrício Leal de Souza, coordenador dos “piratas”: legenda libertária de esquerda
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O Partido Pirata realiza sua primeira Assembleia Nacional neste fim de semana, em Curitiba, com o objetivo de formatar seu programa político e reformar seu estatuto. Ainda iniciando a coleta de assinaturas para a formalização da legenda perante a Justiça Eleitoral, os “piratas” brasileiros tentam seguir os passos das legendas similares europeias que, inclusive, já elegeram representantes para o Parlamento da Europa e para legislativos da Islândia, Alemanha e Suécia.

Nascido na Suécia, em 2006, inicialmente para defender o direito ao compartilhamento de arquivos na internet e questionar a posição da indústria do entretenimento sobre direito autoral, o partido pirata tem, aos poucos, avançado em sua pauta. É o que também ocorre com a sigla no Brasil.

“Nosso enfoque principal é nas liberdades civis que vão da privacidade dos usuários na rede, passando pelo direito ao uso de drogas, eutanásia e direito das mulheres ao aborto”, afirma Fabrício Leal de Souza, coordenador da legenda na Região Sul.

Segundo ele, o que diferencia o partido de outras legendas é a preocupação com os direitos individuais. “Não se pode limitar os direitos das pessoas por uma ideologia”, afirma. Sobre a tradicional divisão entre direita e esquerda, ele arrisca um posicionamento: “Na minha opinião somos uma espécie de esquerda libertária. Temos uma organização e algumas bandeiras diferentes da esquerda tradicional e, ao mesmo tempo, não compartilhamos da obsessão dos libertários tradicionais com o lucro e a questão econômica.”

Encontro

A Assembleia do Partido Pirata acontece no Impact Hub Curitiba, um escritório compartilhado, voltado para projetos de impacto social e para iniciativas colaborativas. São esperados cerca de 100 participantes para o evento. “Vem gente de todo Brasil, mas não temos recursos para bancar ninguém. Então fizemos uma compra coletiva de comida e oferecemos cama para quem é de fora. Teve gente daqui que colocou os pais em outro endereço para abrigar os companheiros de partido”, diz Fabrício. Segundo ele, quem não é filiado mas quer conhecer as ideias do Partido Pirata será bem-vindo.

Mais informações no site http://partidopirata.org/

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE