Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Reunião foi presidida pelo vice-presidente do PMDB, Romero Jucá. | Divulgação/PMDB
Reunião foi presidida pelo vice-presidente do PMDB, Romero Jucá.| Foto: Divulgação/PMDB

O PMDB oficializou nesta terça-feira (29) o desembarque da sigla do governo Dilma Rousseff. A decisão foi tomada por aclamação, em reunião presidida pelo vice-presidente do PMDB, Romero Jucá (RR).

Os deputados presentes à reunião entoaram gritos de “Fora PT” e “Brasil, pra frente, Temer presidente”.

A tomada de posição foi articulada pelo grupo do vice-presidente Michel Temer. Com a decisão sacramentada, ministros peemedebistas já se preparam para deixar a Esplanada dos Ministérios.

A decisão foi tomada após reunião realizada entre Temer e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), considerado o “último bastião” do governismo no PMDB. Temer não presidiu a reunião que selou o desembarque. Os ministros peemedebistas também não compareceram.

Apesar dos apelos da presidente Dilma e de seu antecessor, Lula, o Planalto não conseguiu conter a tendência de debandada do PMDB, agravada nos últimos dias com a exposição das posições anti-Dilma dos maiores diretórios estaduais da sigla, como Rio de Janeiro e Minas Gerais.

O PMDB é o maior partido da coalizão que dava sustentação à presidente. O PMDB tem 68 deputados em exercício na Câmara e a saída da sigla da base aliada ao governo pode complicar a vida de Dilma na busca de votos para escapar do impeachment.

Confira debate da equipe da Gazeta do Povo sobre o desembarque do PMDB:

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]