Dilma têm apresentado “mais desgastes do que ganhos”, segundo o líder do PSDB na Câmara. | Roberto Stuckert Filho/ PR/Fotos Públicas
Dilma têm apresentado “mais desgastes do que ganhos”, segundo o líder do PSDB na Câmara.| Foto: Roberto Stuckert Filho/ PR/Fotos Públicas

O líder do PSDB na Câmara, o deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP), disse nesta segunda-feira (28) acreditar que as movimentações recentes da presidente Dilma Rousseff junto ao PMDB não serão suficientes para evitar seu processo de impeachment. Ele espera que o processo seja aceito até o fim deste mês pela Câmara.

“Por mais que ela ceda cargos (ao PMDB), as pessoas percebem que estão abraçadas com alguém que já está afogada. É como se ela disse ‘governem para mim, que eu não tenho mais condições de governar”, disse Sampaio, para quem os movimentos de Dilma têm apresentado “mais desgastes do que ganhos”. “Ela faz pequenas arrumações e a coisa novamente desanda”, completou o líder do partido.

Sampaio afirma que além do PT, partido da presidente, PR e PP são as legendas mais resistentes ao impeachment. O governo teria aproximadamente 150 deputados garantidos ao seu lado, acredita. Ele cita resistências também no PSD, de Gilberto Kassab, mas afirma que “muita gente do PSD votaria pelo impeachment”. “Os 20 votos do PMDB pró-impeachment continuam intactos. Por mais que pareça que ela (Dilma) ganha fôlego, na nossa visão, não é o que acontece. A crise econômica vai se afundar”, afirmou o líder partidário.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]