i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Notas políticas

Relatos sobre Cachoeira

  • Porcaroline olinda - notaspoliticas@gazetadopovo.com.br
  • 25/11/2012 21:18
 | Evaristo Sá/AFP
| Foto: Evaristo Sá/AFP

O relatório final da CPI do empresário Carlinhos Cachoeira (foto) deve ser lido na próxima quarta-feira, dia 28. Entregue na semana passada pelo relator, deputado Odair Cunha (PT-MG), o texto não é consenso entre os integrantes da CPI e parte dos parlamentares promete a apresentação de voto em separado. O relatório, inclusive, não deverá nem ser votado, já que parlamentares têm a intenção de pedir vistas do texto. O texto vai pedir o indiciamento de 34 pessoas, incluindo Cachoeira, e a responsabilização de outras 12 pessoas, que têm foro privilegiado.

Aliás...

A leitura do texto já foi adiada duas vezes. Na primeira vez, integrantes da CPI alegaram que o prazo entre a entrega e a leitura deveria ser de pelo menos 24 horas. O segundo adiamento ocorreu a pedido de Odair Cunha, que ainda poderia alterar o texto em busca de consenso para a aprovação. Entre os principais pontos de discórdia está o fato de ele propor a responsabilização criminal do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e poupar o governador do Distrito federal, Agnelo Queiroz (PT). Também há críticas sobre o pedido de investigação do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, a ser encaminhado ao Conselho Nacional do Ministério Público.

Merendas 1

As prefeituras de Curitiba, Londrina, Paranaguá, Pinhais, São José dos Pinhais, Araucária, Colombo e Castro podem ter de dar explicações detalhadas sobre o uso de dinheiro público na compra de merendas escolares. O Tribunal de Contas da União (TCU) e o Estado do Paraná (TCE) estão de olho na aplicação de recursos públicos para a alimentação dos alunos.

Merendas 2

O deputado federal Fernando Francischini (PEN) apresentou na semana passada um requerimento na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara Federal solicitando os nomes das empresas que participaram e venceram as licitações nos oito municípios, cópia dos processos licitatórios, os valores pagos para as empresas e os nomes dos gestores públicos responsáveis pelos pagamentos.

Agenda

Hoje – A Câmara de Vereadores de Curitiba vota um projeto que exige a divulgação mensal de todas as diárias utilizadas pelos servidores da Prefeitura e da Câmara na internet. Segundo a proposta, de iniciativa da vereadora Professora Josete (PT), os servidores terão que indicar o nome do beneficiado, o itinerário e o motivo da viagem e a quantia gasta. A proposta vale tanto para servidores de carreira quanto para agentes políticos, como vereadores e secretários.

Quarta-feira – Os vereadores curitibanos votam a reforma do regimento interno. Pelas regras da Casa, a votação será nominal e exige maioria qualificada (2/3 do plenário) para ser aprovada. Entre as principais mudanças propostas estão a existência de blocos parlamentares, não prevista pelo atual regimento, e o arquivamento definitivo de projetos no final das legislaturas. Ao contrário do que havia sido anunciado, ela não será em uma sessão exclusiva para esse fim – a votação será realizada normalmente, junto com outros projetos.

Pinga-fogo

"A pior solução seria não votar. Não votar liquida com os estados. No dia 10 de janeiro, a primeira cota terá que ser repassada e não vai ter regra. Como é que se faz?"

Lia de Paula/Ag. Senado

Romero Jucá (PMDB-RR, foto), o senador que participa da articulação para votação das regras sobre o Fundo de Participação dos Estados. Ele garante que a votação será nos próximos dias.

Colaboraram: Chico Marés e Karlos Kohlbach.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.