Requião é representante do Brasil no Parlasu. Por isso viaja ao Uruguai com frequência | Cesar Machado/Gazeta do Povo
Requião é representante do Brasil no Parlasu. Por isso viaja ao Uruguai com frequência| Foto: Cesar Machado/Gazeta do Povo

Despesas

Peemedebista foi o paranaense que mais gastou em 2014 com verba indenizatória

Da Redação

O gabinete do senador Roberto Requião (PMDB) foi o que recebeu mais verbas indenizatórias no ano passado dentre os três representantes do Paraná no Senado Federal. Requião, segundo informações do site oficial do Senado, gastou R$ 309 mil com os itens que são reembolsáveis – como passagens e diárias de viagens.

Gleisi e Alvaro

Em segundo lugar na lista dos gastos, ficou o gabinete da senadora Gleisi Hoffmann (PT), com R$ 200 mil pagos em ressarcimento. O senador Alvaro Dias (PSDB), que só recebeu indenizações de gastos com passagens, foi o que teve menos gastos em 2014, num total de R$ 73 mil. Somados, os gabinetes dos três senadores do Paraná gastaram R$ 582 mil ao longo do ano passado.

Roberto Requião (PMDB-PR) foi o senador que mais viajou às custas do Senado ao longo dos últimos quatro anos. Ao todo, Requião passou 146 dias em 37 viagens – o equivalente a quase cinco meses, de um total de 48 da legislatura – para 17 destinos diferentes. A maior parte das atividades eram referentes à sua participação no Parlamento do Mercosul (Parlasul). Ao todo, o senador recebeu R$ 116,5 mil em diárias – descontando R$ 4,9 mil que foram devolvidos ao longo do mandato.

Em quatro anos, o Senado pagou R$ 1,4 milhão em diárias para os senadores custearem despesas de viagens– 88% delas ao exterior. Além de Requião, estão entre os que mais viajaram Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Jorge Viana (PT-AC), Antônio Carlos Valadares (PSB-SE) e Ana Amélia Lemos (PP-RS).

Uruguai

Das 37 viagens feitas por Requião, 34 foram para o exterior. A maior parte, 21, foi para atividades referentes a sua participação no Parlasul. Nos últimos quatro anos, Requião foi o presidente da representação brasileira no Parlamento do Mercosul, e atualmente exerce o cargo de vice-presidente da Casa. Outras cinco viagens foram feitas pelo senador como representante brasileiro na Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana.

O Uruguai, sede do Parlasul, foi o país mais visitado por Requião. Foram 13 viagens para o país vizinho. Ele participou de atividades relacionadas a essa instituição em outros cinco países latino-americanos, nem todos filiados ao Mercosul, e também na Bélgica e na Suécia. Ao todo, ele passou por 21 países da América, da Europa e da Ásia. Ele também foi reembolsado por atividades no Rio de Janeiro. A reportagem tentou entrar em contato com o senador para explicações sobre suas atividades fora do país, mas não teve sucesso.

Destinos populares

Entre os outros senadores, os Estados Unidos foram o destino mais "popular" ao longo dos últimos quatro anos. Somados, os senadores passaram 255 dias no território norte-americano– a maior parte das viagens foram para Nova York, especialmente para representar o país em atividades da Organização das Nações Unidas (ONU). Em segundo lugar ficou a China, com 142 dias. Também estão entre os cinco primeiros o Uruguai, a Suíça e Cuba. Ao todo, quase 60 países foram visitados pelos senadores brasileiros ao longo dos últimos quatro anos, em todos os continentes.

Além das viagens para o exterior, o Senado bancou também 162 diárias para viagens dentro do Brasil. Entre os motivos alegados estão a participação em atividades de CPIs e em eventos, como a conferência Rio + 20, realizado no Rio de Janeiro.

Como funciona

Senadores têm direito a receber diárias para participar de atividades inerentes ao mandato fora de Brasília, seja no exterior ou no Brasil – exceto quando a atividade é em seu estado de origem. Entre as atividades, estão representar o país em solenidades, como posse de chefes de estado, participar de atividades em órgãos internacionais e acompanhar o presidente em visita oficial, entre outras. O valor da diária varia de acordo com o destino.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]