Fim da sessão ficou marcada por empurrões e bate-boca entre deputados. | Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados
Fim da sessão ficou marcada por empurrões e bate-boca entre deputados.| Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

A sessão da comissão que discute o impeachment da presidente Dilma Rousseff, nesta quarta-feira (30), foi marcada por confusão e muito bate-boca entre deputados do governo e da oposição.

Deputados discutem em comissão do impeachment de Dilma

A sessão para debater o pedido de impeachment da presidente terminou com muita confusão e bate-boca nesta quarta-feira (30) na Câmara

+ VÍDEOS

Antes mesmo do jurista Miguel Reale Jr., um dos autores do pedido de impeachment, falar para a comissão, o deputado Weverton Rocha (PDT-MA) apresentou uma questão de ordem pedindo a suspensão da sessão. A sugestão foi rapidamente rechaçada por deputados opositores.

Houve bate-boca entre parlamentares dos dois lados, que levantaram cartazes de “Impeachment Já” e “Impeachment sem crime é golpe”. Os deputados opositores puxaram um coro de “impeachment”, que foi rebatido com gritos de “não vai ter golpe, vai ter luta”, do outro lado.

O relator da Comissão, Jovair Arantes (PTB-GO) respondeu a Rocha, dizendo que não seriam aceitas novas provas.

A reunião foi encerrada antes que todos os parlamentares inscritos pudessem falar – o que gerou bate-boca, xingamentos e até empurrões.

Aliados da presidente Dilma reclamaram que a oposição tinha ganho mais espaço até ali e que o encerramento antecipado dos trabalhos prejudicava a defesa da presidente Dilma.

O presidente do grupo, Rogério Rosso (PSD-DF), que determinou o encerramento, também foi acusado de quebrar um acordo estabelecido entre líderes, no qual as discussões poderiam seguir até a noite, o tempo que fosse necessário.

Rosso alega que determinou o fim da reunião em função do início da “ordem do dia” no plenário da Câmara dos Deputados, seguindo Regimento Interno da Casa. Mas parlamentares sustentam que não há tal obrigatoriedade e que um acordo prévio entre os líderes já havia interpretado desta forma.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]