i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Impeachment

Só 10% da bancada do Paraná defende Dilma

Dos 30 deputados paranaenses na Câmara, só 3 se manifestaram publicamente contra a cassação

  • PorKelli Kadanus e Laura Beal Bordin*
  • 06/12/2015 21:00
Dilma na cadeira de presidente: bancada do PR é a favor do impeachment. | Lula Marques/Agência PT
Dilma na cadeira de presidente: bancada do PR é a favor do impeachment.| Foto: Lula Marques/Agência PT

Apenas três deputados da bancada paranaense na Câmara Federal se posicionaram contrários à abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). A reportagem da Gazeta do Povo entrou em contato com os 30 parlamentares que formam a bancada do Paraná e 12 deles disseram que vão votar a favor da abertura do processo. Outros 10 deputados não quiseram se posicionar a respeito do assunto enquanto os partidos não tomarem uma decisão sobre o posicionamento das legendas.

INFOGRÁFICO: Veja o que pensam os deputados do PR sobre o impeachment de Dilma

Os três deputados que afirmaram que votarão contra a abertura do processo têm ligação com o Partido dos Trabalhadores. Dois deles – Ênio Verri e Zeca Dirceu – são filiados ao partido. Já o deputado Toninho Wandscheer (PMB) era filiado ao PT, mas trocou de partido recentemente.

“Na minha opinião, o PT chegou no limite e não poderia ceder às chantagens”, disse o deputado Ênio Verri, presidente estadual do PT. Pelas redes sociais, Zeca Dirceu (PT) repetiu o mesmo tom do discurso de Dilma e chamou a atenção para as investigações contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). “Dilma não é acusada de nada, ao contrário do deputado Eduardo Cunha”, disse o parlamentar.

O PT chegou no limite e não poderia ceder às chantagens. Dilma não é acusada de nada, ao contrário do deputado Eduardo Cunha.

Ênio Verri presidente estadual do PT.

Já Toninho Wandscheer (PMB) criticou a maneira como o pedido foi aceito pelo presidente da Câmara – no mesmo dia em que o PT afirmou que votaria contra o deputado no Conselho de Ética da Casa. “[Cunha] podia ter feito isso há muitos dias e não fez porque estava usando isso como forma de pressionar para que o partido do governo votasse a favor dele. Isso é muito mesquinho”, disse o parlamentar.

A Dilma perdeu a credibilidade, a situação financeira do país é caótica, a inflação está voltando e a corrupção tomou conta do governo.

Valdir Rossoni PSDB.

Os deputados têm até esta segunda-feira (7) para instalar a comissão especial, formada por 66 parlamentares e igual número de suplentes, para analisar a denúncia lida em plenário na última quinta-feira (3). A partir de instalada a comissão, a presidente deverá ser notificada a apresentar defesa em até 10 sessões da Câmara. Assim que Dilma apresentar sua defesa, a comissão deverá votar o relatório final contra ou a favor da abertura do processo de impeachment.

*Colaborou Larissa Mayra, especial para a Gazeta do Povo

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.