Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Foto: Freepik.com
Foto: Freepik.com| Foto:

A utilização de robôs e inteligência artificial chegou ao mercado financeiro. Mais especificamente, ao comércio de moedas estrangeiras.

Bruno Ávila, diretor comercial da NeoCâmbio, fintech especializada em câmbio e serviços de viagem, mostra que é possível ter competitividade e a solidez da auditoria do Banco Central para entrar nesse mercado.

O serviço é basicamente um site de comparação, negociação e compra de moedas, lançado há menos de três anos. "As fintechs estão nesse mercado pois está tudo eerrado dentro dos bancos e cobram muito caro esse serviço. As taxas são altíssimas, não tem bons serviços, muitas vezes demora", aponta Ávila.

O especialista ratifica que os bancos digitais estão vindo para quebrar esse paradigma. "O modelo de cadastro é simples e negociamos preços até 15% mais baratos com players do setor, todos autorizados pelo Banco Central do Brasil.
Usamos robôs e inteligência artificial. Em nosso marketplace, diversas corretoras de câmbio disponibilizam as cotações de 20 tipos de moedas estrangeiras para que você escolha qual delas quer comprar", explica.

A ideia é que viajar e conhecer novos lugares não dê espaço para a burocracia envolvida.

Confira entrevista completa com Bruno Ávila, diretor comercial da NeoCâmbio, ao programa 'A Protagonista'.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]