i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

A Protagonista

Foto de perfil de A Protagonista
Ver perfil

Parecer de ex-ministro do STF e corpo a corpo com parlamentares engrossam ofensiva pelo Refis das micro e pequenas

  • PorThaísa Oliveira
  • 29/01/2018 19:00
Guilherme Afif, presidente do Sebrae (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Guilherme Afif, presidente do Sebrae (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)| Foto:

Em campanha a favor do programa de refinanciamento para micro e pequenas empresas — o Refis —, o presidente do Sebrae, Guilherme Afif, promete fazer um “corpo a corpo” com o Congresso Nacional para derrubar o veto do presidente Michel Temer ainda em fevereiro.

Como parte da ofensiva, o Sebrae encomendou um parecer ao ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Ayres Britto para convencer deputados e senadores que, ao aprovar o Refis para médias e grandes empresas e vetar o programa para micro e pequenos empresários, o governo feriu a igualdade de tratamento prevista na Constituição.

O projeto, que facilitaria o pagamento das dívidas de micro e pequenas empresas com a Receita Federal, foi aprovado no Congresso em dezembro, mas acabou vetado pelo Planalto no começo de janeiro sob o argumento de que o texto não previa a origem do dinheiro que cobriria o desconto aos empresários.

Mesmo com o recesso do Congresso Nacional, Afif e o presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Carlos Amastha, tentam lugar na agenda do presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira, ainda nesta semana, para cobrar que a derrubada do veto seja incluída na pauta do Legislativo.

LEIA MAIS: ‘Não é por apoio, é por oração’, diz presidente da bancada evangélica sobre encontro de pastores com Temer

Segundo Amastha, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, se comprometeu a “fazer o lobby perante os deputados” para derrubar o veto após o recesso parlamentar. O prefeito argumenta que, como a crise econômica foi gerada pelo governo federal, cabe ao Congresso e ao presidente da República resolver o impasse dos endividados.

“O país quebrou por causa da péssima condução da economia. E isso não foi a nível municipal ou estadual. Quem criou essa nova realidade foi, infelizmente, a política econômica do governo federal. Agora a gente precisa estender os braços aos pequenos.”

Presidente da Frente Parlamentar Mista da Micro e Pequena Empresa, o deputado federal Jorginho Mello (PR-SC) afirma que, como “a matéria tem consenso”, os parlamentares querem derrubar o veto ainda em fevereiro.

“Até o Eunício [Oliveira, presidente do Senado] ficou chateado com o veto. Por que foi dado para os grandes e não foi dado para os pequenos? Que patifaria é essa?”, questiona. “A Receita manda no mundo. Eles colocam defeito onde querem. Eles sempre foram assim. Para os grandes e para os bancos: facilidade. Para os pequenos: pau na cabeça.”

Regra atual

O prazo para micro e pequenos empresários parcelarem suas dívidas com a Receita Federal e continuarem no Simples Nacional termina na quarta-feira (31). Segundo o Sebrae, caso o veto seja derrubado pelo Congresso Nacional, as empresas do Simples que solicitaram o refinanciamento pelas regras atuais poderão migrar para as novas condições do Refis.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.