i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

A Protagonista

Foto de perfil de A Protagonista
Ver perfil

Petistas querem denunciar Moro ao CNJ por evento com Doria

  • PorThaísa Oliveira
  • 25/05/2018 09:42
Juiz federal Sergio Moro (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Juiz federal Sergio Moro (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)| Foto:

O deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) quer que o juiz federal Sergio Moro — que condenou o ex-presidente Lula a nove anos e meio de prisão — dê explicações ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e à Organização das Nações Unidas (ONU).

Na semana passada, Moro foi um dos palestrantes de um evento a empresários e investidores que contou com patrocínio do escritório de advocacia Nelson Wilians, que defende a Petrobras. O fórum foi organizado em Nova York, nos Estados Unidos, pelo grupo Lide, associação fundada pelo ex-prefeito de São Paulo João Doria (PSDB), pré-candidato ao governo estadual.

LEIA MAIS: Procurador que falou mal de Temer no Facebook pode ser punido pelo MP — colegas reagem

Para Damous, Moro comprometeu sua independência funcional e violou o Código de Ética da Magistratura. A Petrobras atuou como assistente de acusação no processo do tríplex do Guarujá — que levou Lula à prisão. Na véspera da palestra, Moro recebeu o prêmio de Pessoa do Ano, concedido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, e posou para fotos com o ex-prefeito tucano.

Sergio Moro e sua esposa, Rosângela Moro, ao lado do ex-prefeito João Doria e da ex-primeira-dama Bia Doria. A foto foi publicada no Instagram do tucano (Foto: Divulgação/@jdoriajr)

Para o deputado Décio Lima (PT-SC), o episódio precisa ser analisado pelo CNJ. “Não há dúvidas de que o juiz age de forma persecutória [contra o ex-presidente Lula]. Há o escancaramento público de que o magistrado está sendo imparcial e se utilizando do Poder Judiciário com finalidade não Republicana.”

Na terça-feira (22), a defesa do ex-presidente Lula apresentou pedido de suspeição contra Moro por sua participação no evento do grupo Lide. Os advogados argumentam que, ao palestrar em um fórum ligado a um pré-candidato do PSDB, o juiz violou a “imparcialidade objetiva” e pôs à prova sua capacidade de conduzir “julgamento justo e imparcial” no âmbito da Lava Jato.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.