i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

A Protagonista

Foto de perfil de A Protagonista
Ver perfil

“Porque nós não perguntamos ao Serra se ele quer competir também?”, diz Arthur Virgílio sobre prévias no PSDB

  • PorOlavo Soares
  • 13/12/2017 19:48
“Porque nós não perguntamos ao Serra se ele quer competir também?”, diz Arthur Virgílio sobre prévias no PSDB
| Foto:

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), afirmou, em entrevista exclusiva ao blog A Protagonista, que está “feliz da vida” com a consolidação das eleições prévias que devem definir o nome do PSDB para as disputa presidencial do ano que vem. Ele colocou o seu nome na disputa para enfrentar o maior favorito ao posto, o governador Geraldo Alckmin (SP), eleito recentemente presidente da legenda. Segundo Virgílio, a confirmação da realização das eleições prévias, inicialmente previstas para 4 de março, abre caminho também para uma eventual pré-candidatura do senador José Serra (PSDB-SP).

“Porque nós não perguntamos ao Serra se ele quer competir também? É um homem que foi candidato com votação brilhante, e é uma pessoa brilhante”, disse o prefeito. Serra foi candidato a presidente pelo PSDB em duas ocasiões, em 2002 e 2010.

Ele declarou que sua relação com Alckmin sempre foi respeitosa, mas que, durante os debates que antecederão as prévias, trabalhará para expor as diferenças entre ele e o paulista. “Sempre tive muita cordialidade com o Alckmin, mas pouca conversa sincera. Agora vai ser o momento de a população saber o que cada um pensa. Por exemplo, união homoafetiva: eu sou a favor. E o Alckmin? Isso ele vai ter que deixar claro”, acrescentou.

O tucano também descartou a candidatura do prefeito de São Paulo, João Doria. Segundo Virgílio, Doria precisa se concentrar na gestão da capital paulista. O prefeito disse ainda que não teme críticas por, caso seja escolhido candidato a presidente, tenha que abandonar a administração de Manaus. “Estou no meu segundo mandato e também já comandei a cidade anteriormente. A população está aprovando essa pré-candidatura”, declarou.

Virgílio explicou que o PSDB definiu que as prévias serão abertas a todos os filiados do partido que tenham ingressado na legenda há no mínimo um ano. A expectativa é que a votação ocorra em 4 de março – segundo Virgílio, esse é um prazo ideal para que o PSDB consiga sair do processo em condições de compor alianças com outras legendas. O partido anunciou hoje que constituiu uma comissão para cuidar do processo.

Lula e Bolsonaro
O prefeito disse não ver solidez no cenário de polarização entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que têm aparecido na dianteira nas pesquisas para 2018.

Segundo Virgílio, Bolsonaro “tropeçará nas próprias pernas”. O prefeito criticou algumas visões do deputado, como a postura em relação às políticas LGBT, e também o que considerou falta de economia por parte do parlamentar. “Bolsonaro é uma figura nacionalista atrasada. Na política, ele é anti-democracia; na economia, ele não sabe para onde vai”, apontou.

Em relação a Lula, Virgílio lembrou as denúncias de corrupção que afetam o ex-presidente e também disse que a postura do petista e de seu partido contra a reforma da previdência contradizem o que o próprio PT apresentou ao país em 2002, quando Lula venceu as eleições presidenciais pela primeira vez com um discurso simpático aos mercados.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.