i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

A Protagonista

Foto de perfil de A Protagonista
Ver perfil

Procurador que falou mal de Temer no Facebook pode ser punido pelo MP — colegas reagem

  • PorThaísa Oliveira
  • 16/05/2018 12:16
(Foto: Antônio More/Gazeta do Povo)
(Foto: Antônio More/Gazeta do Povo)| Foto:

Após quatro horas de sessão, o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) suspendeu o julgamento que pode punir um procurador da Lava Jato que chamou o presidente Michel Temer de “leviano”, “inconsequente” e “calunioso” no Facebook. A discussão começou nessa terça-feira (15) e será retomada em 29 de maio.

A Corregedoria do CNMP resolveu investigar a conduta do procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, que integra a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, depois que o ex-presidente Lula reclamou do post ao órgão em julho do ano passado. Com o processo disciplinar, o procurador pode ser submetido à sanção de censura — punição prevista na Lei do Ministério Público da União.

Nessa terça, o Conselho decidiu não só analisar o post feito por Lima sobre o presidente Michel Temer, mas também um postagem com críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF) e um artigo de opinião escrito para a Folha de S.Paulo em março deste ano.

Lima tem mais de 32 mil seguidores em seu perfil no Facebook e, por causa de seus postagens, chegou a receber uma orientação da Corregedoria Nacional, em janeiro, para que não manifestasse sua opinião política nas redes sociais. Em resposta, o procurador usou o Facebook para afirmar que a recomendação era ilegal e que, de sua parte, não caberia “qualquer recuo”.

O julgamento de terça gerou reações na categoria. Um abaixo-assinado feito por magistrados e membros do Ministério Público em apoio ao procurador e em defesa da liberdade de expressão foi entregue aos conselheiros do CNMP antes da sessão. O documento, intitulado “Manifesto pela Liberdade de Expressão”, contou com mais de 400 assinaturas — incluindo a do ex-procurador-geral Rodrigo Janot e a dos ex-conselheiros Nicolao Dino e Janice Ascari.

LEIA MAIS: Advogado propõe prisão de Moro; procurador rebate: ‘Tome vergonha na cara’

O manifesto afirma que o Ministério Público “não fala apenas nos autos” e que, com a Lava Jato, “atores da vida nacional” tentam restringir a liberdade de expressão de procuradores, promotores, juízes e policiais. “Sabem os inimigos dissimulados da República que calar uma voz dissonante é o atalho mais curto para matar a democracia e seus valores”, diz a nota.

“A liberdade de expressão dos homens e das mulheres que se dedicam à vida pública não é menor do que as dos cidadãos em geral, não custa repetir. Esta é uma ideia-força que deve ser enunciada e compreendida. Promotores e procuradores estão proibidos de dedicar-se a atividades político-partidárias, mas não são privados de opinião sobre a vida da pólis em que vivem.”

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.