Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Após revelação de auxílio-moradia, Rubens Bueno nega ter imóvel em Brasília
| Foto:

A família do deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR) nega que ele tenha um imóvel em Brasília. A polêmica surgiu depois que a Folha de S.Paulo revelou que o deputado recebe auxílio-moradia mesmo tendo declarado um imóvel em Brasília.

O imóvel, no condomínio Ilhas do Lago, consta da última declaração de patrimônio entregue à Justiça Eleitoral pelo deputado, na campanha de 2014. O apartamento foi declarado por R$ 980 mil, como mostrou o blog.

Nesta terça, Rubens Bueno II, filho do deputado, mandou uma nota para a imprensa dizendo que, embora estivesse financiado no nome do pai, o apartamento era dele. Ele teria usado o imóvel enquanto morou em Brasília, e o apartamento teria sido vendido em janeiro de 2014.

Leia mais: Moro, Bretas e o Judiciário se expõem ao ridículo por R$ 4,3 mil

No entanto, na declaração à Folha, parecia que Rubens estava de fato admitindo a propriedade do imóvel.

“Recebo porque meu domicílio e minha residência é em Curitiba e eu vou prestar serviço toda semana em Brasília. (…) Utilizo para minhas despesas, tenho condomínio, tenho despesas de Brasília.”

Rubens Bueno recebe mensalmente R$ 5,5 mil em auxílio-moradia da Câmara, assim como vários outros deputados que não ocupam apartamentos funcionais.

Veja a nota na íntegra:

Nota de Esclarecimento

Nos últimos dias foi publicado em diversos meios de comunicação que meu pai, o deputado federal Rubens Bueno possui atualmente em seu nome um apartamento em Brasília no valor de R$ 980 mil reais. Porém, quero e preciso esclarecer alguns fatos.

Realmente em 2009 meu pai realizou a compra deste apartamento através de um financiamento em seu nome. Apesar disto, mesmo o imóvel estando em seu nome, a compra foi realizada para mim, Rubens Bueno II, que morei neste apartamento, junto com a minha família de 2009 até dezembro de 2013, quanto deixei Brasília. Logo depois da minha mudança, em janeiro de 2014, o apartamento foi vendido. Pois o mesmo foi comprado apenas com este objetivo.

Por fim, quero destacar também que na época da compra do imóvel, em 2009, meu pai não possuía mandato. Ele foi eleito em outubro de 2010 e iniciou o mandato em janeiro de 2011.

Melhores cumprimentos,

Rubens Bueno II

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]