i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Caixa Zero

Ver perfil

SP cria bilhete mensal de ônibus e metrô. Curitiba fica para trás de novo

  • PorRogerio Galindo
  • 19/11/2013 16:01
SP cria bilhete mensal de ônibus e metrô. Curitiba fica para trás de novo
| Foto:

Haddad

A prefeitura de Curitiba mais uma vez está se deixando ficar para trás da prefeitura paulistana na gestão do transporte coletivo. Fernando Haddad, que assumiu a gestão no mesmo dia em que Gustavo Fruet, já pintou centenas de faixas exclusivas para ônibus, enquanto aqui continuamos na mesma, esperando milhões para fazer canaletas, ao invés de fazer o mais simples e rápido.

Agora, a prefeitura de São Paulo fez um acordo com o governo e o passageiro sai ganhando: haverá a possibilidade de o sujeito comprar um único bilhete mensal e ter um desconto graúdo no uso do transporte. A previsão, quando se tratava só de ônibus, era que o pacote mensal saísse por R$ 140. Agora, como o metrô estará incluído, o preço provavelmente subirá,

Com isso, a prefeitura terá de pôr subsídios. Milhões, claro. Mas com o que economizou trocando canaletas caras por faixas pintadas na rua, por exemplo, já talvez pague boa parte disso sem maiores esforços. Solução barata tem disso: facilita o pagamento de outras coisas, às vezes mais importantes.

Pense bem: uma pessoa que pague passagens de ida e volta todo dia de segunda a sexta gasta em Curitiba cerca R$ 110 por mês. Se for uma passagem só, não compensa. Mas quantas pessoas, em nosso sistema sem integração total, pagam duas, três ou quatro tarifas até ir aonde precisam? Pode-se gastar fácil R$ 300 por mês. E são justamente as pessoas de menor renda.

Ou seja: o plano paulistano é um sistema que parece eficiente justamente para subsidiar quem mais precisa. Não é um subsídio linear como o curitibano, que patrocina tanto a ida ao trabalho de alguém do Tatuquara quanto a ida de um jovem de classe média ao shopping poucas quadras adiante. É subsídio para quem precisa, seletivo e redistribuidor de renda.

E aí? Ficaremos novamente para trás?

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.