i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Caixa Zero

Ver perfil

Vereadora chama texto do blog de machista

  • PorRogerio Galindo
  • 26/01/2017 11:07
Vereadora Maria Letícia. Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo.
Vereadora Maria Letícia. Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo.| Foto:
Vereadora Maria Letícia. Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo.

Vereadora Maria Letícia. Foto: Hedeson Alves/Arquivo Gazeta do Povo.

A vereadora Maria Letícia Fagundes (PV) enviou nesta quarta-feira uma carta ao blog em que afirma que um texto publicado no mesmo dia é machista e tendencioso, e que tentaria ridicularizar o projeto apresentado por ela para multar quem assediar mulheres nas ruas da cidade. Leia o texto da vereadora:

“Tenho 32 anos de medicina, 22 anos no atendimento de vítimas de abuso sexual no Instituto Médico Legal (IML), em especial mulheres e crianças, e me elegi vereadora com essa plataforma. O meu mandato é a continuação da minha carreira como médica legista. Sou leitora da Gazeta do Povo, tradicional jornal da capital paranaense e na tarde desta quarta-feira (25) fui surpreendida com a opinião do jornalista Rogerio Galindo, que assina o blog Caixa Zero, com um post intitulado Vereadora que propôs multa por assedio é chamada de ‘feia, frustrada e tribufu’ na internet, que curiosamente foi alterado minutos depois para ‘Machistas atacam vereadora que propôs multa por assédio’.

Um formador de opinião que escreve em um dos blogs mais lidos no cenário político curitibano se posicionou de maneira tendenciosa e machista. Me chamou atenção logo nos primeiros parágrafos a crítica negativa questionando detalhes, para os quais temos todas as soluções.

Estranhamente não fui procurada em nenhum momento pelo referido jornalista, nem por telefone, e-mail, rede social, considerando que trabalhamos em locais bem próximos. Atendi todos os veículos de comunicação que me solicitaram. Conversei com jornalistas das principais redações de Curitiba, assim como de Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Mas não precisa ir longe para entender melhor a proposta, ontem mesmo foi publicada uma matéria feita pelo jornalista Felippe Anibal, (Projeto prevê multa para quem assediar qualquer pessoa em Curitiba), na própria Gazeta do Povo, que explicou claramente as condições do projeto de lei  005.00046.2017, ou seja, teve entendimento e não pré-julgou.

Ficou evidente a intenção de ridicularizar a iniciativa, parece que o Galindo nem leu o conteúdo que está disponível da íntegra no meu site www.vereadoramarialeticiafagundes.com e no site da Câmara Municipal de Curitiba. Infelizmente o blogueiro se fundamentou nas discussões feitas nas redes sociais que dão voz aos apedeutas. E pior, ele selecionou somente os comentários negativos, mas e os positivos de apoio ao projeto? Peço que quando o respeitável jornalista se manifestar, tenha entendimento da grandeza do jornal que ele representa. É importante a reflexão sobre o machismo e que há mulheres como eu na Câmara Municipal de Curitiba que não se intimidam e se preocupam com a causa. Com toda essa repercussão, tenho mais certeza do que nunca da necessidade de leis que coíbam o assédio às mulheres.

Para finalizar, repito a pergunta formulada pelo jornalista Rogerio Galindo: Onde este mundo vai parar?

Vereadora Maria Leticia Fagundes”

Resposta do blog

O texto publicado nesta quinta, embora questionasse alguns aspectos do projeto, jamais tentou ridicularizar a vereadora ou sua proposta – muito pelo contrário, a ideia era questionar e ridicularizar os comentaristas que, nas redes sociais, usaram argumentos vazios e violentíssimos contra a proposta.

Trata-se de uma espécie de tradição no blog, mostrar a radicalização de comentários, principalmente nas redes sociais, que dão uma ideia de como o debate fica vazio e marcado por preconceitos, em muitas ocasiões. Por exemplo, o blog fez isso quando curitibanos questionaram a migração de haitianos para a cidade e quando houve críticas ao sistema de cotas da UFPR.

A vereadora, no meio da tarde, ligou para o blog questionando o texto. Embora achasse, e continue achando, que o post fosse claro o suficiente, mudei o título e reforcei ainda mais o que era o ponto principal desde o começo: a radicalização dos comentários machistas contra a vereadora.

Como nunca foi a ideia ridicularizar uma ideia que, no fundo é bem intencionada e que ataca um problema real, a decisão foi por publicar a resposta da vereadora na íntegra, como vai acima, e deixar clara a motivação do texto.

Este blog, como fica claro para quem o segue, sempre defende, de maneira consistente, os direitos das minorias e, muito especialmente, o feminismo. A vereadora não tem obrigação de saber disso nem de concordar com o blog. E embora obviamente o que aconteceu seja um ruído de comunicação dá-se o direito de resposta a ela.

Siga o blog no Twitter.

Curta a página do Caixa Zero no Facebook.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.