i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Certas Palavras

Foto de perfil de Certas Palavras
Ver perfil
Impactos da pandemia

Mais 150 milhões de crianças passam a viver na pobreza multidimensional, revela Unicef

  • 22/11/2020 15:20
pobreza na pandemia - crianças
O mundo tem hoje cerca de 1,2 bilhão de crianças sem acesso a necessidades básicas, como educação, saúde, moradia, nutrição, saneamento ou água potável, segundo estudo.| Foto: Reprodução/Save the Children

Desde o início da pandemia de covid-19, o número de crianças vivendo em estado de pobreza multidimensional aumentou 15%. Agora, o mundo tem cerca de 1,2 bilhão de crianças sem acesso a necessidades básicas, como educação, saúde, moradia, nutrição, saneamento ou água potável. São 150 milhões de crianças a mais do que os números registrados antes da crise do novo coronavírus.

Os dados fazem parte de um estudo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), em conjunto com a organização Save the Children (Salve as Crianças). A quase totalidade das crianças que passaram a viver na pobreza multidimensional após a pandemia está em países de baixa e média renda, segundo o Unicef.

O estudo multidimensional da pobreza, que foi concluído no final de setembro e vem sendo atualizado, usa dados sobre o acesso à educação, saúde, habitação, nutrição, saneamento e água de mais de 70 países. A análise dos dados mostra que cerca de 45% das crianças foram severamente privadas de pelo menos uma dessas necessidades críticas nos países analisados ​​antes da pandemia.

Para o Unicef, a previsão é que a situação vai piorar nos próximos meses. “Famílias à beira de escapar da pobreza foram puxadas de volta, enquanto outras estão passando por níveis de privação que nunca viram antes”, disse Henrietta Fore, diretora executiva do Unicef, ao falar sobre o estudo.

O relatório observa que “proteção social, políticas fiscais inclusivas, investimentos em serviços sociais e emprego e intervenções no mercado de trabalho para apoiar as famílias são essenciais para tirar as crianças da pobreza e evitar mais devastação”. Para isso, as organizações envolvidas no acompanhamento da situação afirmam que é necessário “expandir o acesso a cuidados de saúde de qualidade e fornecer as ferramentas e a tecnologia necessárias para que as crianças continuem seus estudos remotamente; e investir em políticas favoráveis ​​à família, como creche”.

“Esta pandemia já causou a maior emergência educacional global da história e o aumento da pobreza tornará muito difícil para as crianças mais vulneráveis ​​e suas famílias compensar a perda”, declarou Inger Ashing, CEO da Save the Children, ao site do Unicef. Segundo o executivo, “as crianças que perdem a educação têm maior probabilidade de serem forçadas ao trabalho infantil ou ao casamento precoce, o que as levaria a ficarem presas em um ciclo de pobreza por muitos anos”.

O relatório observa ainda que, além de maior número de crianças vivendo na pobreza multidimensional, as crianças pobres também estão ficando mais pobres. “Algumas crianças podem sofrer uma ou mais privações e outras nenhuma, portanto, o número médio de privações sofridas por criança pode ser usado para avaliar o quão pobres as crianças são. Antes da pandemia, o número médio de privações graves por criança era de cerca de 0,7. Estima-se agora que tenha aumentado 15%, para cerca de 0,85”, destaca o documento.

*Receba notificações de reportagens e artigos do jornalista Célio Martins

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • N

    Nm

    ± 0 minutos

    Nada a acrescentar ao comentário do Luiz. Perfeito! o Ilustre Celio Martins viveu os últimos 50 anos em marte e desembarcou ontem na terra... porque a pobreza sempre existiu....

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Luiz

    ± 52 minutos

    Sobre isso, prezado Célio, fale com a turma do "fique em casa", dos lockdows desnecessários, dos Mandetas da vida. "Vá para o hospital só quando já estiver com o pulmão contaminado", dizia ele. Crianças sem escola, sem a necessária convivência social, sem a devida assistência alimentar. Logo elas que não correm o mínimo risco de contaminação. Ou se forem contaminadas tem um leve resfriado, muitas vezes sem sintomas nenhum. A história dirá que são os verdadeiros "genocidas" nessa pandemia. Aliás, pandemia disseminada pela China, com ok da OMS e seus sabujos da Europa. E, claro, da Rede Lixo , da esquerda progressistas hipócrita destas bandas tupiniquins.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]