i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Certas Palavras

Foto de perfil de Certas Palavras
Ver perfil
Coronavírus

Rejeição de Trump a uma vacina universalizada afeta combate à pandemia

  • Por Célio Martins
  • 20/05/2020 20:29
Trump rejeitou trecho da resolução da assembleia da OMS.
| Foto: Divulgação/Casa Branca

O governo de Donald Trump (EUA) se opôs a um trecho da resolução aprovada pelos 194 Estados-membros da Organização Mundial da Saúde (OMS) na terça-feira (19) – último dia da assembleia geral anual da organização – que prevê a quebra de patentes de futuras vacinas ou tratamentos para a covid-19. A proposta de universalização de uma futura vacina, com acesso global igualitário, atende a uma demanda dos países mais pobres.

O documento foi apoiado pelo governo brasileiro e a União Europeia. A embaixadora do Brasil na OMS, Maria Nazareth Farani Azevedo, participou diretamente das negociações. Apesar do bom relacionamento do governo Bolsonaro com o presidente Donald Trump, os EUA não cederam.

Com a rejeição do governo norte-americano ao trecho da resolução, diplomatas e autoridades de saúde em todo o mundo temem que uma futura vacina não chegue rapidamente aos países em desenvolvimento. Essa barreira afetaria a luta global para vencer a pandemia.

“Como redigido atualmente, os parágrafos enviam a mensagem errada aos inovadores que serão essenciais para as soluções que o mundo inteiro precisa", justificou o governo dos EUA ao rejeitar o trecho da resolução que aborda a produção de vacinas contra o coronavírus. Na nota, a delegação norte-americana destaca “o papel fundamental que a propriedade intelectual desempenha no incentivo ao desenvolvimento de novos e melhores produtos para a saúde".

O governo Trump não informou que a maior parte dos investimentos para pesquisas de vacinas contra covid-19 está vindo dos cofres públicos, isto é, de impostos dos contribuintes. O laboratório americano Moderna, por exemplo, que anunciou ter conseguido resultados positivos nos testes da fase 1 de sua vacina em seres humanos, recebeu US$ 483 milhões do governo dos Estados Unidos em abril passado para acelerar as pesquisas. Analistas preveem que a vacina da Moderna, caso tenha sucesso, pode custar de US$ 30 (cerca de R$ 170 na cotação atual) a US$ 125 (R$ 705), valores que a tornam inacessível para a grande maioria da população mundial. Outro exemplo: o governo britânico anunciou na segunda-feira (18) que vai investir mais R$ 1,5 bilhão em pesquisa e produção de vacinas para o combate ao novo coronavírus.

Em seu parágrafo 4, a resolução da 73ª Assembleia Mundial da Saúde faz o seguinte apelo aos Estados-membros: "Que solicitem o acesso universal, oportuno e equitativo e uma distribuição justa de todos os produtos e tecnologias de saúde de qualidade, eficazes e essenciais (…), incluindo seus componentes e precursores exigidos na resposta à pandemia de covid-19 como prioridade global”.

A resolução também determina, no parágrafo 8, que os países “trabalhem em cooperação em todos os níveis para desenvolver, testar e ampliar a produção de medicamentos, diagnósticos e vacinas seguros, eficazes, de qualidade e acessíveis, em resposta à covid-19, incluindo os mecanismos existentes para licenciamento de patentes, a fim de facilitar o acesso oportuno e equitativo a eles”.

Interesses questionáveis

Quais os motivos que movem Trump a barrar a iniciativa da maioria dos países do mundo para permitir, temporariamente, a quebra de patentes e a universalização de vacinas e tratamentos à covid-19? As razões são muitas, ideológicas e econômicas, passando por planos estratégicos de manutenção do poder político e da hegemonia global dos EUA; mas, dois pontos podem ser destacados.

Um desses pontos é que Trump atende ao lobby das empresas norte-americanas na corrida para produzir uma vacina e outros medicamentos. Com a manutenção das patentes, essas companhias poderiam obter lucro muito maior do que teriam em caso de mudança das regras durante a pandemia. As vantagens econômicas viriam não só para as companhias, mas também o país.

Outro ponto está relacionado à capacidade de produção de uma vacina. Trump avalia que a prioridade deve ser o atendimento da população norte-americana. Primeiro os americanos, somente depois viriam as populações de outros países.

A posição do governo do EUA nesse contexto demonstra ser equivocada e falaciosa. Com outros países também produzindo, rapidamente se teria quantidade suficiente para atender a população do planeta. A quebra de patentes seria por um período específico: controlada a pandemia, tudo voltaria como antes. Também está em discussão recompensas aos laboratórios detentores das patentes, que deveriam ser feitas pelos governos dos diversos países.

Posição de Trump confronta decisões internacionais

Ao tentar impedir o compartilhamento de vacinas e tratamentos contra a covid-19, Trump confronta vários instrumentos e decisões que reconhecem o direito à saúde. "Toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde, (...) cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis”, diz o inciso 1 do art. 25 da Declaração Universal dos Direitos do Homem (1948).

O Pacto Internacional dos Direitos Econômicos, Sociais e Culturais estabelece em seu artigo 12, incisos 1 e 2, que “os Estados-partes no presente Pacto reconhecem o direito de toda pessoa de desfrutar o mais elevado nível possível de saúde física e mental”.

Não é de hoje que os sucessivos governos dos EUA demonstram-se indiferente ao trabalho multilateral para oferecer acesso universal a medicamentos e tratamentos. Em alguns episódios, as posições do Brasil foram duramente confrontadas. Em 2001, durante a 57ª sessão ordinária da Comissão sobre Direitos Humanos da ONU, por 52 votos a favor e nenhum voto contrário, foi aprovada a resolução número 2001/33, de iniciativa do Brasil, denominada "Acesso a Medicamentos no Contexto de Pandemias como o HIV/Aids". Os Estados Unidos adotaram posição contrária e se abstiveram da votação.

| Divulgação/OMS

Vivemos em um mundo interdependente e interconectado, onde a saúde e o bem-estar são moldados pelas circunstâncias, decisões e eventos que ocorrem em lugares distantes. As ameaças bacterianas viajam quase com a mesma rapidez que as mensagens de email, Twitter e o fluxo de dinheiro.

Keva Bain, das Bahamas, eleita presidente da 73ª Assembleia da OMS.

A aprovação da resolução relacionada ao HIV, com atuação importante do governo brasileiro, permitiu avanços fundamentais no combate à Aids. A resolução reconheceu o direito ao acesso universal a medicamentos e a Comissão pediu aos Estados que evitassem medidas que impedissem ou limitassem o acesso igualitário aos medicamentos necessários ao tratamento de pandemias como a Aids. A medida, adotada pelo Brasil, permitiu o acesso a medicamentos contra o HIV.

O texto aprovado agora na assembleia da OMS – que pede o acesso "universal, rápido e equitativo" e a "distribuição justa" de todos os produtos e tecnologias médicas necessários para o combate à covid-19 – deve ser apoiado e implementado globalmente. Um bloqueio dos EUA, maior economia do mundo e país que está à frente na indústria farmacêutica, seria uma ação contrária à recuperação da normalidade (social, econômica, cultural) e de desumanidade em um momento de calamidade pública global.

13 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 13 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • N

    NELSON UMEDA

    ± 2 horas

    Engraçado, os EUA investem, pesquisam e supondo que consigam uma vacina. Eles tem que entregar quase de graça para os países que não apoiam, boicotam e tripudiam os países capitalistas? Acho que tem que ter um preço justo, como o que pagamos para a vacina da gripe. Simples assim. Ou os socialistas só querem compartilhar o bônus e esquecer os ônus? Não existe sopa grátis, meu nobre jornalista.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Ronaldo Spekla

    ± 4 horas

    Proponho o seguinte ao nobre comuno jornalista: a proxima vez que achar um super furo jornalistico , ligue pra todas as redações dos outros jornais da concorrencia e compartilhe simultaneamente.... afinal a propriedade intelectual nao deve ser respeitada mesmo !!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • C

      CELIO MARTINS

      ± 4 horas

      "O governo Trump não informou que a maior parte dos investimentos para pesquisas de vacinas contra covid-19 está vindo dos cofres públicos, isto é, de impostos dos contribuintes. O laboratório americano Moderna recebeu US$ 483 milhões do governo dos Estados Unidos em abril passado para acelerar as pesquisas. Analistas preveem que a vacina da Moderna, caso tenha sucesso, pode custar de US$ 30 (cerca de R$ 170 na cotação atual) a US$ 125 (R$ 705), valores que a tornam inacessível para a grande maioria da população mundial. Outro exemplo: o governo britânico anunciou na segunda-feira (18) que vai investir mais R$ 1,5 bilhão em pesquisa e produção de vacinas para o combate ao novo coronavírus."

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Admar Luiz

    ± 5 horas

    O Célio, já tomou seu todynho hoje? Já vestiu tua máscara? Cara, teu texto é eivado de antiamericanismo. O jornalismo canalha que se faz no Brasil. Célio mimi, dia lá pra China fabricar milhoes de vacinas e distribuir para o mundo todo. Afinal, quem é o responsável pela pandemia? Não é a China, valente? Ah! sim é o Trump, ou vai ver é o Bolsonaro, esses fascistas desumanos. Rsrsrs Célio, vai catar coquinhos lá na Venezuela, pede pro socialista Maduro - a tecnologia da vacina virá de Cuba - te vacinar e te dar umas aulinhas de direitos humanos. Que tal?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • C

      CELIO MARTINS

      ± 4 horas

      "O governo Trump não informou que a maior parte dos investimentos para pesquisas de vacinas contra covid-19 está vindo dos cofres públicos, isto é, de impostos dos contribuintes. O laboratório americano Moderna recebeu US$ 483 milhões do governo dos Estados Unidos em abril passado para acelerar as pesquisas. Analistas preveem que a vacina da Moderna, caso tenha sucesso, pode custar de US$ 30 (cerca de R$ 170 na cotação atual) a US$ 125 (R$ 705), valores que a tornam inacessível para a grande maioria da população mundial. Outro exemplo: o governo britânico anunciou na segunda-feira (18) que vai investir mais R$ 1,5 bilhão em pesquisa e produção de vacinas para o combate ao novo coronavírus."

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Richard Murdoch Montgomery

    ± 6 horas

    Jornalista intelingentinho comuna. Como vc acha que estas vacinas seriam desenvolvidas sem estímulo economico? Por caridade, por fotossíntese? Vc acha que as medicações para o tratamento da AIDS seriam desenvolvidas se as farmacêuticas soubessem que as patentes seriam universalizadas antes do prazo?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • C

      CELIO MARTINS

      ± 4 horas

      ""O governo Trump não informou que a maior parte dos investimentos para pesquisas de vacinas contra covid-19 está vindo dos cofres públicos, isto é, de impostos dos contribuintes. O laboratório americano Moderna recebeu US$ 483 milhões do governo dos Estados Unidos em abril passado para acelerar as pesquisas. Analistas preveem que a vacina da Moderna, caso tenha sucesso, pode custar de US$ 30 (cerca de R$ 170 na cotação atual) a US$ 125 (R$ 705), valores que a tornam inacessível para a grande maioria da população mundial. Outro exemplo: o governo britânico anunciou na segunda-feira (18) que vai investir mais R$ 1,5 bilhão em pesquisa e produção de vacinas para o combate ao novo coronavírus."

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • B

    Bernardo Coelho

    ± 6 horas

    Errado ele não tá... Que estímulo os pesquisadores tem para desenvolver qualquer vacina, sabendo de ante mão que a patente será quebrada?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • C

      CELIO MARTINS

      ± 4 horas

      ""O governo Trump não informou que a maior parte dos investimentos para pesquisas de vacinas contra covid-19 está vindo dos cofres públicos, isto é, de impostos dos contribuintes. O laboratório americano Moderna recebeu US$ 483 milhões do governo dos Estados Unidos em abril passado para acelerar as pesquisas. Analistas preveem que a vacina da Moderna, caso tenha sucesso, pode custar de US$ 30 (cerca de R$ 170 na cotação atual) a US$ 125 (R$ 705), valores que a tornam inacessível para a grande maioria da população mundial. Outro exemplo: o governo britânico anunciou na segunda-feira (18) que vai investir mais R$ 1,5 bilhão em pesquisa e produção de vacinas para o combate ao novo coronavírus."

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • I

    IvoHM

    ± 7 horas

    Segundo todas as pesquisas Hilary vence com 90% dos votos. Sei. E o intrépido jornalista teria alguma coisa a comentar sobre o áudio onde Joe Biden oferece 1 bilhão de dólares ao presidente da Ucrânia, revertendo toda a narrativa da campanha dos Democratas, chamado ObamaGate, e que colocará todos na cadeia? E as suspeitas de pedofilia sobre Joe Biden (Creepy Joe, segundo Trump)? Teus amiguinhos comunistas deixam você comentar sobre isto? Ou você é conivente com pedofilia?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • Z

    Zyss

    ± 14 horas

    Vai dormir cara, depois do conluio entre China e OMS, vc acha mesmo que o Trump vai assinar alguma coisa vinda de lá?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • C

      CELIO MARTINS

      ± 4 horas

      ""O governo Trump não informou que a maior parte dos investimentos para pesquisas de vacinas contra covid-19 está vindo dos cofres públicos, isto é, de impostos dos contribuintes. O laboratório americano Moderna recebeu US$ 483 milhões do governo dos Estados Unidos em abril passado para acelerar as pesquisas. Analistas preveem que a vacina da Moderna, caso tenha sucesso, pode custar de US$ 30 (cerca de R$ 170 na cotação atual) a US$ 125 (R$ 705), valores que a tornam inacessível para a grande maioria da população mundial. Outro exemplo: o governo britânico anunciou na segunda-feira (18) que vai investir mais R$ 1,5 bilhão em pesquisa e produção de vacinas para o combate ao novo coronavírus."

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • C

      Clarisier Azevedo Cavalcante de Morais

      ± 7 horas

      Exatamente. Impressionante é que os mesmos que querem culpar os EUA por atender prioritariamente a sua população, perdoam a China previamente por toda a miséria e morte provocada com o alastramento do vírus

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.