Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Qingtuan, na primavera presente na lista de desejos de festivais, festas e piqueniques.
Qingtuan, na primavera presente na lista de desejos de festivais, festas e piqueniques.| Foto: Photo by GoChengu

Se me pedissem para citar palavras que remetessem ao início da primavera, com certeza viria a mente: flores, parques, piquenique, pipa, amigos e claro, na China, chá e Qīngtuán (青糰).

Como protagonista há mais de 2500 anos, os bolinhos verdes aglutinosos, brilham, traduzem frescor, inquietam a nossa curiosidade.
Como protagonista há mais de 2500 anos, os bolinhos verdes aglutinosos, brilham, traduzem frescor, inquietam a nossa curiosidade.| Photo by Hotel Hilton Chengdu

Qingtuan, traduzido como liga da juventude, é um bolinho verde, protagonista da história de criatividade e coragem nas guerras entre povos há aproximadamente 2500 anos atrás. A história nomeia Xanshi como sua cidade de origem, mesma história que o nomeou não só como símbolo do início da estação, mas como o prato símbolo do Festival de Qingming, o Dia da Varrição das Tumbas, ou Dia dos Ancestrais.

Na primavera, o comércio, as mídias nos lembram do imprescindível a ser levado aos festivais e aos passeios de finais de semana, e claro, Qingtuan não pode faltar
Na primavera, o comércio, as mídias nos lembram do imprescindível a ser levado aos festivais e aos passeios de finais de semana, e claro, Qingtuan não pode faltar| Photo by Valéria Vicenti

Nomeado como refrescante, de arroz glutinoso e matcha, o bolinho recheado de feijão vermelho ou preto doce, invade os carrinhos de comida de rua e as prateleiras dos supermercados logo nos primeiros dias da estação. Parece recebê-la com graça. No passado, em sua receita original, no lugar de matcha era utilizada artemísia chinesa ou grama de cevada, ingredientes recomendados para o uso somente no início da primavera. Os bolinhos mais famosos e apreciados ainda são os preparados sem ingredientes industriais, conservantes e similares. Os apreciadores afirmam que os de preparo artesanal mantém o registro da sua essência, o primor do frescor original das receitas dos antepassados. O resultado de uma alquimia perfeita, descoberta pelos chineses por acaso.

O bolinho, de tão famoso e querido, entra nos kits não só de festas deste período do ano, como na lista dos itens que devem seguir para os piqueniques. Há listas em supermercados que o inclui nas prioridades de compra, na lista de desejos, seguido das pipas, das barracas de descanso e das varas de pesca para criança. Pode acreditar!

Quantos vem mesmo na embalagem?
Quantos vem mesmo na embalagem? | Photo by Valéria Vicenti

E você deve estar se perguntando, e você gostou?

Vamos lá! Na primeira mordida, um bolinho de massa umedecida, fresca, tão fresca que chega a colar um pouquinho nos dedos, um pouquinho nos dentes. Bem sutilmente, mas cola! Um bolinho de duas ou três bocadas no máximo, mas que já na primeira te conquista, te inquieta pela explosão de sabores. O frescor da massa não remete aos ingredientes, mas te conecta ao doce do feijão que mais parece um sabor suave de chocolate. Hummm ... Haviam me dito, é tão gostoso que fica difícil explicar, e é verdade mesmo. Ainda bem que na embalagem vieram 4!! Oba!!

Então Boralá não se intimidar pela cor, formato ou recheio! Se permitia provar! Com sempre afirmamos, se for bom a gente repete, se não for a gente esquece, simples assim, mas tenta!!

E fica com a gente que daqui a pouquinho tem mais aventura! Sempren tem ...

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]