i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Conexão Brasília

Foto de perfil de Conexão Brasília
Ver perfil

Físicos austríacos apontam: governos com muito mais de 20 ministérios se tornam “fortemente ineficientes”

  • PorAndré Gonçalves
  • 24/08/2015 14:51
Na Esplanada, há menos prédios que ministérios.
Na Esplanada, há menos prédios que ministérios.| Foto:
Na Esplanada, há menos prédios que ministérios.

Na Esplanada, há menos prédios que ministérios.

Três físicos da Universidade Médica de Viena desenvolveram em 2007 um estudo sobre o tamanho do primeiro escalão de 197 países e como a quantidade de ministros atrapalhava a eficiência das decisões de cada governo. O resultado do trabalho, publicado pela Universidade de Cornell (Estados Unidos), cita que decisões tomadas por gabinetes com muito mais de 20 membros tornam-se “fortemente ineficientes”. “Nós reportamos evidências empíricas de que a performance dos governos federais caem com o crescimento de membros na equipe responsável pela tomada de decisão”, diz o artigo assinado por Peter Klimek, Rudolf Hanel e Stefan Thurner.

Os dados caem como uma luva hoje, em função da decisão do governo de cortar 10 ministérios.

O estudo considerou que, na época, o gabinete brasileiro (que englobaria os ministros, o presidente e o vice) contava com 27 membros. Estava acima do aconselhado como ideal pelos autores, mas no mesmo patamar de países desenvolvidos como Austrália e Itália. Se a comparação fosse com os atuais 39 ministros de Dilma, o país estaria entre o Paquistão, com 38, e o Congo, com 40.

Atualmente, o Brasil tem 24 ministérios que podem ser considerados “plenos” e outras 15 secretarias especiais com status de ministério. Historicamente, no entanto, a quantidade de ministros “plenos” no Brasil não sofreu grandes variações desde o governo José Sarney (1985-1990), mas houve um avanço significativo no tamanho do primeiro escalão. Sarney teve os mesmos 24 ministérios de Dilma, Lula e Fernando Henrique Cardoso, mas bem menos secretarias (cinco, contra 15, 13 e 7, respectivamente).

Na comparação entre os últimos seis presidentes, o gabinete mais enxuto foi o de Itamar Franco (1992-1994), com 25 pastas, mas o que teve menos ministros “plenos” foi o de Fernando Collor (1990-1992), com 17.

***

Veja uma cópia do estudo aqui: 0804.2202v1.pdf

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.