Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Guerra na Ucrânia, o caso dos áudios vazados do grupo de futebol do deputado Arthur do Val (que também estão relacionados à guerra, mas atingiram mulheres do mundo inteiro pelo conteúdo machista e misógino) e as últimos movimentos da corrida presidencial são os temas do programa desta segunda-feira (7).

>> Faça parte do canal de Vida e Cidadania no Telegram

Esse é o quarto episódio da 3ª temporada de Hora do Strike. Participam do programa, debatendo comigo, os comentaristas de política Kim Paim, Gustavo Gayer e Bárbara, do canal Te Atualizei, um sucesso de público e audiência no YouTube.

Para além do conflito em si, a ideia da pauta deste programa é discutir como a guerra na Ucrânia reflete no Brasil, especialmente na política, afinal está claramente em curso por aqui uma guerra de narrativas paralela, em função da disputa eleitoral.

O segundo tema em debate, os áudios misóginos do deputado Arthur do Val (Podemos-SP), respingou na pré-candidatura do ex-juiz Sergio Moro, já que um de seus principais apoiadores é o Movimento Brasil Livre (MBL), do qual o deputado é integrante.

Guerra na Ucrânia e política nacional

Sergio Moro se viu obrigado a repudiar publicamente a fala, dada a repercussão negativa do que o deputado disse sobre as refugiadas ucranianas quando estava na fronteira da Ucrânia com a Eslováquia numa viagem para lá de questionável, desprezando a fragilidade delas e insinuando que eram "fáceis por serem pobres".

Arthur do Val corre o risco de ser expulso do Podemos e ter o mandato de deputado estadual cassado pela ALESP. Diante do ocorrido, acabou retirando sua pré-candidatura ao governo de São Paulo, deixando o ex-juiz Sergio Moro sem palanque no principal colégio eleitoral do país.

Já Lula teve a ficha limpa de vez pelo STF, com a suspensão do último processo que respondia na Justiça, acusado de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa na compra dos caças Gripen para a Força Aérea Brasileira (FAB).

Com a Operação "Lava Lula" concluída com sucesso, o ex-presidente condenado em três instâncias, atualmente livre para concorrer de novo à presidência da República, falou a empresários para não comprarem ações de empresas públicas que estão sendo privatizadas, porque, se eleito, pretende rever as privatizações.

Como isso repercutiu no empresariado? Assista à Hora do Strike. Depois deixe seu comentário, ajudando no debate.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]