i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Crônicas de um Estado laico

Foto de perfil de Crônicas de um Estado laico
Ver perfil

Marco Feliciano abre o coração

  • Por Thiago Rafael Vieirae
  • Por Jean Marques Regina
  • [05/09/2020] [00:01]
O deputado federal Marco Feliciano
O deputado federal Marco Feliciano.| Foto:

Não tenho dúvidas de que o leitor da Gazeta do Povo, sempre antenado com tudo que acontece no mundo da política brasileira, deverá lembrar da conturbada eleição para a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, em 2013, do deputado federal e pastor evangélico da Assembleia de Deus Marco Feliciano. Houve manifestações de toda ordem, insultos e até mesmo colegas democratas do deputado que recorreram ao STF, contra a soberania do voto. Nem nos momentos sagrados de adoração a Deus o pastor e deputado estava livre de manifestações, gritos de guerra e, claro, todo tipo de insulto. A Gazeta informava, na época dos fatos: “O pastor afirma que foi agredido com palavras de baixo calão, ameaças de violência e depredação. ‘O pastor Marco Feliciano estava acompanhado de sua família, inclusive com suas crianças que, aos choros, se apavoraram quando os manifestantes atacaram o carro onde estavam’, diz a nota. Por fim, ele argumenta que ‘já está procurando as autoridades para tomar todas as medidas cabíveis’”.

Passaram-se alguns anos e o clima parece ter piorado. Agora as ofensas e insultos não são direcionados a uma pessoa ou a um fato, como ocorreu com Feliciano, mas aos evangélicos de maneira geral. Gigantes da indústria do entretenimento, como a Netflix, veiculam películas que difamam, ofendem e ironizam símbolos sagrados; colunistas alegam que pastor não pode ser ministro, não importa que seja qualificado; enquanto outros usam o pequeno espaço que possuem para dizer que “é necessário pegar as espadas que Pedro lançou contra os soldados romanos, e cravá-las nos filhos do inferno que estão no nosso meio”, referindo-se a evangélicos.

O fato é que cada dia os ânimos estão mais acirrados e os vilões da vez são os cristãos; isso foi, inclusive, objeto de parecer do Instituto Brasileiro de Direito e Religião, que o leitor acompanhou em nossa postagem mais recente. Trazendo estes fatos, passados e atuais, resolvemos entrevistar alguém que tem sofrido na pele, há alguns anos, tais atos de intolerância e preconceito religioso. Pastor Feliciano, abra seu coração!

Deputado e pastor Marco Feliciano, há alguns anos o senhor foi alvo de muitas críticas quando assumiu a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias. Muito foi falado à época, mas, gostaríamos de ouvi-lo sobre o porquê de tais críticas e se guardavam alguma relação com o fato de o senhor exercer, também, o ministério eclesiástico, ou seja, a função de ministro do evangelho.

Esse episódio ocorreu em 2013, quando o Brasil era governado por um partido de extrema-esquerda, o PT, que por sua vez dominou a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados por vários anos. A perseguição se deu única e exclusivamente por causa da minha fé, da minha ideologia cristã e por saberem que minhas pautas sempre foram conservadoras. Já havia tido embates com os progressistas a respeito do aborto, do aborto dos anencéfalos, da união civil entre pessoas do mesmo sexo e de muitos projetos comunistas. Como tenho milhares de seguidores em mídias sociais, e havia sido eleito com mais de 200 mil votos, eles se assustaram. Então tentaram me transformar em “exemplo”, buscando me amedrontar, humilhar, perseguir e destruir minha reputação. Acreditavam que, se me calassem, calariam todos os demais cristãos.

"Embora nossa grande massa brasileira seja conservadora, os esquerdistas fizeram muitos acreditarem que havia o monopólio progressista, isso porque conservadores são pacatos, silenciosos, ordeiros e respeitosos"

Marco Feliciano, pastor e deputado federal

Por mais que este assunto da presidência da comissão esteja no passado, percebemos atualmente a tentativa de se criar uma narrativa de que a crença é importante, mas deve ser exercida dentro de casa, ao estilo francês. Na verdade, a concepção constitucional da crença no Brasil revela sua natureza particular, mas também pública, garantindo a expressão e defesa da fé em qualquer lugar. Qual a diferença entre o primeiro fato (a presidência da CDHM) e as narrativas atuais em torno da laicidade? Não lhe parece que atualmente existe uma tentativa orquestrada de impedir a influência dos valores cristãos na sociedade?

Na política existe a máxima de que “não temos inimigos, mas adversários”; isso não funciona com a esquerda. Para eles, nós, cristãos conservadores, somos inimigos. Eles nos veem com preocupação, nos chamam de retrógrados, afirmam que somos obscurantistas. Já me chamaram de deputado medieval, e por aí caminham as ofensas. Por 30 anos nosso país foi governado pela esquerda, leia-se comunistas; lembre-se de Karl Marx et caterva, que ridicularizam a religião cristã e contra ela declararam guerra. Em 30 anos o Brasil foi aparelhado por eles. Culturalmente transformado.

E, embora nossa grande massa brasileira seja conservadora, eles fizeram muitos acreditarem que havia o monopólio progressista, isso porque conservadores são pacatos, silenciosos, ordeiros e respeitosos. Isso me faz lembrar de uma frase de Martin Luther King: “O que me assusta não é o grito dos maus e sim o silêncio dos bons”. Respondendo à pergunta, sim, eles continuam querendo nos paralisar via leis, via ameaças, via afronta de pseudointelectuais, via grande mídia e pela maioria da grande imprensa.

Quais são os principais valores do cristianismo? Se eles são bons, por que preocupam tanto certos grupos?

Temos um Deus a quem adoramos. Amamos e respeitamos a vida desde a concepção. Não confundimos liberdade com libertinagem. Por sermos conservadores, somos prudentes. Respeitamos as autoridades constituídas. Somos contra a erotização precoce. Somos contra a corrupção. Somos patriotas. Somos unidos. Basicamente o progressista é um revolucionário, e para um revolucionário os fins justificam os meios! Nossos valores, portanto, tornam-se uma barreira para que implantem um estado de caos. Para eles o Estado deve ser Deus.

O senhor acumula a função de cura de almas com a de deputado federal. São duas esferas distintas de soberania; a primeira é espiritual e a segunda é política, material. Existe confusão destas esferas no seu dia a dia? No plenário da Câmara estamos diante do deputado, na nave da igreja, do pastor; além destes dois locais, quando é um e quando é o outro?

Estou em paz quanto a estas funções. Na verdade é trabalho dobrado e cada um dos trabalhos exige uma postura, mas ambas podem caminhar juntas. Como parlamentar, eu me pauto pela Constituição Federal. Como pastor, eu me pauto pela Bíblia. E em ambos, sou guiado pelo caráter cristão e pelo temor do Senhor.

"como cristãos, tendo a mente de Cristo, isto nos legitima para exercermos cargos de excelência e oferecermos nossos talentos e sensibilidade espiritual na vida pública"

Marco Feliciano

Recentemente o senhor participou da 2ª Jornada Virtual de Estudos em Direito e Religião do IBDR, com o tema “Cristãos e o Poder, equilíbrio possível?” O tema da jornada foi em forma de pergunta; poderia respondê-la para nossos leitores?

Foi uma honra indizível participar da jornada. Estar entre ilustres juristas e servos de Deus de diversas denominações mostrou a grandiosidade desta instituição. Em resumo, eu disse que eu sou pastor e estou político. Amanhã posso não estar mais político, mas sempre serei pastor. No meu caso, tenho a política como braço profético do ministério que Cristo me confiou. Ser cristão não nos torna menos brasileiros nem uma sub-raça; assim o querem nossos detratores. Pelo contrário, como cristãos, tendo a mente de Cristo, isto nos legitima para exercermos cargos de excelência e oferecermos nossos talentos e sensibilidade espiritual na vida pública. Se há alguém que pode praticar com esmero a cosmovisão não política, é um servo de Deus.

O Estado brasileiro, embora laico, não é laicista, não é ateu. E o que sou comigo está, aonde vou. E sempre me lembro do texto bíblico de Lucas 12,48 “A qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá” – por isso oro e sou carente das orações dos santos, para exercer esta tarefa de forma a honrar a Cristo e a sua noiva, que me ungiu para esta tarefa.

Conteúdo editado por:Marcio Antonio Campos
8 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 8 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • I

    Isaac Zabini dos Santos

    ± 0 minutos

    Os colunistas levam Marco Feliciano a sério? Quem leva Marco Feliciano a sério não pode ser levado a sério.. É um explorador do mercado da fé, como tantos outros por aí!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Luciano

    ± 16 dias

    ...isso porque conservadores são pacatos, silenciosos, ordeiros e respeitosos". Gostei dessa parte. Kkkkk

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • G

    GUSTAVO

    ± 16 dias

    Não perguntou sobre os dentes novos dele que no povo brasileiro pagou com seus impostos? Prega o liberalismo, a ética no serviço público, mas usa 157 mil de dinheiro público pra arrumar os dentes. Falta de vergonha na cara é pouco para este sujeito. A gazeta se dá ao trabalho de reqentar uma notícia pra trazer esse sujeito desprezível pra falar.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • E

    ESTORVO

    ± 16 dias

    O próximo da lista será o pastgor Everalçdo ou a pastora Flordelis? Tem também o padre Robinson, degoiás, ou o João de "DEUS".... tÁ CHEIO DE GENDE DISPOSTA A ABRIR O CORAÇÃO PRA GAZETINHA!!!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Meg Litton

    ± 16 dias

    Os "comentaristas" abaixo parecem não ter entendido a que se prestava o texto...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Renato Veiga de Macedo

    ± 16 dias

    Isso não é jornalismo.. é um militante fazendo "entrevista". #pessimogazeta

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    CSG

    ± 16 dias

    O Boca de ouro é mais que tem fachada conservadora , mas telhado de vidro.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • P

    Pedro Silva

    ± 16 dias

    Pelo jeito o autor não se importa de ter pago, através de impostos, o tratamento dentário de 100 mil reais do deputado. Faça o seguinte, de todo seu dinheiro e siga ele cegamente. Só não tente levar os leitores à admirarem uma figura dessas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.