i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

De Brasília

Foto de perfil de De Brasília
Ver perfil

Sequestrado pela Lava Jato, apartamento de ex-DER foi avaliado em R$ 4,7 mi

  • PorCatarina Scortecci
  • 23/02/2018 19:06
Edifício Don Alfonso, no Centro de Balneário Camboriú (SC). Foto: Justiça Federal do Paraná.
Edifício Don Alfonso, no Centro de Balneário Camboriú (SC). Foto: Justiça Federal do Paraná.| Foto:

Já foi comunicado à Justiça Federal do Paraná o sequestro do apartamento em Balneário Camboriú (SC) de propriedade do ex-diretor-geral do DER (Departamento de Estradas e Rodagem) Nelson Leal Júnior, preso temporariamente na quinta-feira (22), durante a Operação Integração, deflagrada pela Polícia Federal (PF) e pelo Ministério Público Federal (MPF) no Paraná como uma nova fase da Lava Jato. Outras cinco pessoas foram presas.

A Operação Integração envolve acordos firmados entre o DER, do governo do Paraná, e empresas que integram o Grupo Triunfo, responsável pela concessionária de rodovias Econorte.

No caso de Nelson Leal Júnior, os investigadores suspeitam de enriquecimento ilícito, pois teria recebido dinheiro das empresas ligadas à pedageira. O próprio apartamento no litoral de Santa Catarina seria uma das provas, na narrativa dos investigadores, daí o sequestro do imóvel, autorizado pelo juiz federal Sergio Moro.

Ao fazer o sequestro, na quinta-feira (22), as autoridades envolvidas na Operação Integração concluíram que o imóvel, atualmente, vale R$ 4.730.000,00. O valor considerou a matrícula e a média de preços de outros apartamentos à venda no mesmo condomínio. O imóvel fica na Avenida Atlântica, de frente para o mar.

Em dezembro de 2013, o então diretor-geral do DER teria comprado o apartamento por R$ 2.580.000,00. “Há fundada suspeita de enriquecimento ilícito, com aquisição de bens e serviços com transações vultosas em espécie e que não foram declaradas à Receita Federal”, resumiu o MPF.

Em depoimento prestado ao procurador da República Diogo Castor de Mattos na manhã de quinta-feira (22), ao ser preso em casa, no bairro Mossunguê, em Curitiba, o então diretor-geral do DER negou as acusações, de que teria comprado o apartamento com dinheiro ilícito. Ele afirmou ainda que sua renda média mensal gira em torno de R$ 60 mil.

Se não houver pedido de prorrogação da prisão temporária, Nelson Leal Júnior pode ficar livre na segunda-feira (26). Por enquanto, ele está na sede da Superintendência Regional da Polícia Federal, em Curitiba. Na quinta-feira (22), após a prisão, Nelson Leal Júnior foi exonerado do cargo no DER. O Palácio Iguaçu também informou que ele foi substituído no Conselho da Copel. Em seu lugar, entrou Gilmar Mendes Lourenço.

A Econorte foi constituída em novembro de 1997 para administrar um lote do chamado “Anel de Integração” das rodovias do Paraná. São 341 quilômetros distribuídos em cinco rodovias – três estaduais (PR-323, PR-445 e PR-090) e duas federais (BR-369, BR-153). Em nota distribuída à imprensa, a Triunfo Participações e Investimentos disse que sempre atuou de forma transparente e que está à disposição para esclarecer os fatos apurados pela Operação Integração.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.