i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Francisco Escorsim

Foto de perfil de Francisco Escorsim
Ver perfil

“Nós lemos para saber que não estamos sozinhos”

  • Por Francisco Escorsim
  • 14/02/2020 16:41
“Nós lemos para saber que não estamos sozinhos”
| Foto: Wikimedia Commons

Calma, não siga tão rápido para ler o texto. Fique um pouco mais diante da frase de C.S. Lewis que me serviu aqui de título. Para que lemos tanto? Sim, lemos muito. Ainda que os livros sejam poucos, de literatura menos ainda, vivemos na internet lendo o tempo todo, como agora você está fazendo. Muitas vezes nem pensamos no “para que” fazemos isso e, se formos obrigados a parar para pensar nisso, talvez bastem as respostas óbvias: para se informar, para passar o tempo, e por aí vai. Mas nós lemos para saber que não estamos sozinhos, para não ficarmos sozinhos como o rei Xariar.

Não conhece a história desse rei persa? Xariar tinha um irmão, Xazaman, a quem deu uma parte de seu reino para que governasse. Um dia, quando Xazaman se preparava para viajar em visita ao irmão, descobriu que sua esposa o traía com um escravo. Depois de matar ambos, seguiu ao palácio do irmão, sentindo-se o homem mais infeliz do mundo. O rei Xariar fez de tudo para alegrar seu irmão, mas sem sucesso. Até que um dia, tendo saído para caçar, Xazaman descobriu que a rainha, esposa do irmão, também o estava traindo. Que imagina que Xazaman fez?

Isso, sentiu-se aliviado! “Já que é assim, por que me atormentar lembrando o tempo todo uma infelicidade que é tão comum?”, disse ele. De repente, Xazaman não estava mais sozinho no mundo e tinha um irmão até mais infeliz. Quando Xariar voltou, alegrou-se com a mudança de humor do irmão e quis saber da causa, ao que Xazaman respondeu: “Você é meu sultão e meu senhor, mas, eu suplico, não exija que eu responda a essa pergunta!” No fim das contas, acabou contando. Adivinha o que aconteceu?

Para que a literatura possa educar ela precisa, antes e concomitantemente, entreter

Isso, Xariar se sentiu o homem mais infeliz do mundo e decidiu que jamais iria confiar novamente em outra mulher, embora não pudesse viver sem alguma. Assim, decidiu que voltaria a se casar, mas na manhã seguinte à noite de núpcias mandaria matar a esposa. E aí se casaria novamente para em seguida matar a nova mulher. Assim foi feito, durante três anos. Por óbvio, seu reino foi se desmantelando, com vários fugindo para não verem suas filhas assassinadas. Até que um dia Xerazade, a filha do seu vizir, decidiu que iria se casar com o rei para tentar salvar o reino.

Já se deu conta de que essa história é como começa As 1.001 Noites, não? A partir daqui vem a parte mais famosa, com Xerazade conseguindo escapar da morte todos os dias contando histórias que despertavam a curiosidade do rei, que o fazia desistir de matá-la para saber como a história terminaria no dia seguinte, ao que ela engatava outra história, e assim foi conseguindo não apenas adiar sua morte, mas curar o rei de sua solidão e, por consequência, restaurar seu reino. Sim, você leu certo: curar da solidão. Xariar, como seu irmão, sentia-se o homem mais infeliz do mundo pelo que lhe havia acontecido. Seu medo de sofrer novamente o condenou à solidão.

Xariar escutava aquelas histórias para não ficar sozinho, ainda que não tivesse consciência disso. E à medida que Xerazade ia alimentando o imaginário do marido com histórias de todo tipo, mas principalmente de histórias com personagens sofrendo mais e sendo mais infelizes que Xariar, acontecia com o rei o que acontecera ao seu irmão quando descobriu que Xariar também era corno: a tristeza foi dando lugar a um alívio, confundido com alegria, de que seu sofrimento era comungado com outros, que ele não era o único. A certa altura, Xerazade começou a contar uma nova história que era a do próprio rei. Ao ver sua vida sendo narrada como tantas outras fictícias, o rei se deu conta de seu erro e maldade, desistindo de matar Xerazade e com ela permanecendo casado, o que restaurou o reino em seguida.

Xerazade era, em certo sentido, a timeline de rede social da época e Xariar somos nós, que preenchia o tempo, sua solidão, entretendo-se com o que “lia” e não podia ficar sem conferir as “notificações” no smartphone no dia seguinte, depois de dormir. Mas Xerazade era também muito mais que isso: é um símbolo da literatura, algo que também entretém, distrai-nos da solidão, mas não fica apenas nisso. O propósito de Xerazade não era apenas distrair a solidão do marido, mas curá-lo dela. Ao entretê-lo, Xerazade também o educava. Educação da imaginação pela formação do seu imaginário. Talvez esta seja a grande lição de As 1.001 Noites: para que a literatura possa educar ela precisa, antes e concomitantemente, entreter.

Quando isso acontece de verdade, entendemos o que ensinou Mario Quintana: “Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas”. E também o que dizia Jorge Luis Borges – aliás, grande fã de As 1.001 Noites –, para quem a leitura era uma espécie de felicidade. Ainda que seja um livro que nos afete como um desastre, como disse Kafka, pois aí “um livro deve ser como um machado diante de um mar congelado em nós”. Xerazade foi esse machado para Xariar e, depois, sua felicidade. Aos leitores leitores, dedico essa coluna. Aos que são apenas leitores, deixo-vos o alerta de Marguerite Duras: “Caminhais em direção à solidão. Eu não, eu tenho os livros”.

14 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 14 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • F

    Francisco Pessoa de Queiroz

    ± 0 minutos

    como faço para compartilhar?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • B

    Bruno Sampaio de Souza rezende

    ± 10 horas

    Scherazade com "X" é de f***R!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Jorge

    ± 13 horas

    Artigo excepcional. Vou divulgá-lo no face e com amigos. Como o faço sem ferir direitos autorais?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Maria Elena Ribeiro Mendes

    ± 14 horas

    Ler é uma coisa maravilhosa. Não consigo me ver sem um livro nas mãos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Silvana da Silva

    ± 14 horas

    Gostar muito de ler é uma dádiva para os idosos. Não se sentem sozinhos. Eu nunca sentirei a solidão por isso.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    José Bonfim Albuquerque Filho

    ± 15 horas

    Maravilha! O texto evidencia a "Dupla delícia" de Mário Qintana: "O livro traz a vantagem de a gente poder estar só e ao mesmo tempo acompanhado"

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    André

    ± 20 horas

    Muito bom!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Flávio Luís de Oliveira Santana

    ± 22 horas

    Belíssimo texto!!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Correa

    ± 23 horas

    Que belo texto! Que venham outros.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Admar Luiz

    ± 23 horas

    "Ao abrir um livro, vislumbro um horizonte, onde a vista vai muito além do ponto". (Elan Klever) Boa Escorsim!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Angela Avila

    ± 24 horas

    Texto perfeito. Obrigada por nos proporcionar essa leitura.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • S

    Sérgio Guerra

    ± 24 horas

    Ler é inteirar-se e os incluídos são felizes. Fazem parte de alguma coisa. Mas a suposta dependência do.homem com a mulher ainda deve ser estudada. Um corno mata... mas o que é uma mulher? Eu sinceramente não as entendo!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Rosny Aryon Conrad

    ± 1 dias

    Gostei

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Astride

    ± 1 dias

    Perfeito este texto e lindo. uma vez minha mãe falou: ler me ajuda a tirar a tristeza e as preocupações .Sempre lembrei disto não so na tristeza.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.