Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Você é um obeso político mórbido?
| Foto: Engin Akyurt/Pixabay

Desde 2013, pelo menos, quem aí não foi se tornando um obeso político? Não importa de que lado você esteja, se esquerda, direita, tampouco qual “ismo” defenda, sejamos honestos: de lá para cá a política foi absorvendo todas as demais dimensões da vida, deixando-nos politicamente muito obesos.

Assim como a obesidade corporal distancia suas mãos dos pés, a obesidade política afasta você dos outros. De quantas pessoas você não se afastou, ou se afastaram de você, por causa de política, nos últimos anos? Familiares, amigos, a lista periga ser imensa. Isso ficou muito pior com a pandemia, quando essa obesidade política se revelou, ou se tornou, mórbida.

Se você não acha nada de mais quando uma jornalista diz rezar pela morte de um político, tenho uma má notícia. Você certamente está com (muitos) quilos políticos a mais pesando sobre seu bom senso

Literalmente mórbida, como o desejo de muitos de que seus adversários políticos morram. O último exemplo disso veio em decorrência da mais recente internação hospitalar do presidente da República. Cito apenas uma jornalista famosa para ilustrar, mas basta passear pelas redes sociais para tropeçar em pessoas assim. Barbara Gancia postou em uma rede social que faria novena e rezaria o terço para que Jair Bolsonaro morresse.

Não acredite em mim, leia com seus próprios olhos: “Às 17:00 de hoje darei início a mais uma novena, c reza de 3 terços diários, para q Deus defina de forma inequívoca os destinos de Olavo de Carvalho e Jair Bolsonaro, levando-os desta para pior. Juntem-se a nós, fiéis. O amor de Cristo nos une pela justiça divina.” (vários sic)

Vai dizer que isso não é obesidade política mórbida? Aliás, se você não acha nada de mais, tenho uma má notícia. Quer dizer, eu não, mas a sua balança moral. Você certamente está com (muitos) quilos políticos a mais pesando sobre seu bom senso.

O “bom” de darmos esse nome ao problema é que a analogia vai além da doença, mas também revela a solução. Comecei há poucos dias uma reeducação alimentar e, ao ler o cardápio montado por minha nutricionista com suas recomendações, percebi que uma reeducação política não deixa de seguir os mesmos princípios de comedimento e restrição alimentar.

Por exemplo, devo tentar me abster de frituras, embutidos, salgadinhos de pacote e doces. Agora, veja se não daria para tentar o mesmo com a política, tentando se abster dos embutidos noticiários, dos pacotes de opiniõezinhas, assim como dos doces do seu lado ideológico e das frituras dos adversários. Garanto que dá.

Aliás, estou no “lugar de fala” de quem está tentando fazer isso há alguns meses e conseguindo. Só entro no Twitter esporadicamente, evitando maiores interações, e voltei a consumir notícias como fazia antes de existir internet: leio pela manhã a edição do dia desta Gazeta do Povo (uma ou outra coluna de opinião apenas) e apenas volto a dar atenção ao noticiário na manhã seguinte. Se algo extraordinário acontecer, rapidamente me chega em algum grupo de WhatsApp e daí vou me inteirar. E não, não assisto a jornal de tevê, não sinto a menor falta.

E isso dá resultado? Sim, mais do que eu imaginava. É claro que isso não faz ninguém se “converter”, mudando de lado, indo da direita à esquerda ou vice-versa, trocando de “ismos”. Não é este o objetivo, é até o contrário. Mas certamente faz perder um pouco dessa gordura do ódio que, quando chega nesse estágio mórbido, lhe faz torcer sem pudor pela morte de um adversário político.

Graças a Deus nunca cheguei a tanto, mas, do jeito que essa obesidade política me tomava, a morbidez estava ali na esquina de 2022, aguardando ansiosamente as eleições que certamente serão as mais desprezíveis da história.

Como para emagrecer mais rápido e melhor é bom unir reeducação alimentar com exercícios, às 17 horas de hoje darei início a mais uma novena, com a reza de três terços diários, para que Deus emagreça de forma inequívoca a gordura do ódio político que está nos levando desta para pior. Junte-se a mim, leitor fiel. O amor de Cristo nos une pela justiça divina.

Conteúdo editado por:Marcio Antonio Campos
3 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]