i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Giro pelos Bairros

Ver perfil

9,3% dos curitibanos moram em favelas

  • 06/09/2012 13:18
9,3% dos curitibanos moram em favelas
| Foto:

Para fazer a série de reportagens Voz da Cidade, tenho circulado por dezenas de bairros de Curitiba. Muitos deles são bonitos, bem cuidados e limpos. Mas existe um lado de Curitiba que é desconhecido pela maioria da população. Nossas favelas.

Hugo Harada/Gazeta do Povo
Favelas na Cidade Industrial de Curitiba, o maior bairro da cidade.

Muita gente nem se importa com essa triste realidade. Pois deveria. Todos temos direito a condições mínimas de bem-estar. E o bem-estar de todos contribui para a minha qualidade de vida. Quem vive em um local bem cuidado, arborizado, com saneamento básico e tem acesso a escolas, lazer e oportunidade de emprego tem menos chance de entrar para uma vida de crimes. E uma cidade mais segura faz de todos nós mais felizes.

O IBGE fez o levantamento sobre as favelas para o Censo 2010. O termo usado é “aglomerados subnormais”. Cada aglomerado subnormal é constituído de, no mínimo, 51 unidades habitacionais carentes, em sua maioria, de serviços públicos essenciais, ocupando ou tendo ocupado, até período recente, terreno de propriedade alheia (pública ou particular) e estando dispostas, em geral, de forma desordenada e densa. Para identificar tais áreas, o IBGE considera áreas ocupadas ilegalmente ou com urbanização fora dos padrões vigentes.

Em Curitiba, há 49,7 mil domicílios nesta situação. Isso é equivalente a 163,3 mil pessoas. O crescimento populacional das favelas cresceu 12,4% entre 2000 e 2010, ritmo mais acelerado do que a população como um todo (10,3%).

Dos 75 bairros de Curitiba, 37 abrigam aglomerados subnormais. Veja quais são e o número de pessoas que mora em favelas em cada bairro, segundo o Censo 2010:

Cidade Industrial, 35.109; Cajuru, 31.011; Sítio Cercado, 14.552; Tatuquara, 9.819; Uberaba, 9.083; Ganchinho, 5.243; São Miguel, 4.450; Novo Mundo, 4.655; Campo de Santana, 3.859; Alto Boqueirão, 4.253; Parolin, 3.506; Abranches, 3.279; Campo Comprido, 3.080; Umbará, 2.933; Cachoeira, 2.747; Butiatuvinha, 2.835; Santa Cândida, 2.169; Pinheirinho, 2.078; Bairro Alto, 2.015; Capão da Imbuia, 1.682; Caximba, 1.795; Xaxim, 1.534; Pilarzinho, 1.659; Santa Quitéria, 1.264; Lindóia, 1.068; Guaíra, 1.209; Tarumã, 1.139; Fazendinha, 912; Atuba, 828; Portão, 662; Santa Felicidade, 783; Prado Velho, 568; Augusta, 519; Riviera, 289; Santo Inácio, 277; Boqueirão, 243; Capão Raso, 194.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.