i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Giro Sustentável

Foto de perfil de Giro Sustentável
Ver perfil

Ave ameaçada de extinção é fotografada na Região Metropolitana de Curitiba

  • PorGiro Sustentável
  • 16/08/2017 17:26
Por: Romulo Silva
Por: Romulo Silva| Foto:

Registro feito em Bocaiúva do Sul indica a presença do gavião-de-penacho na Floresta com Araucária, ecossistema do qual resta menos de 0,8% de áreas conservadas no Paraná

 

O registro de um gavião-de-penacho voando pelo município de Bocaiúva do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, alertou ainda mais os ambientalistas para a necessidade de preservação da Floresta com Araucária, ecossistema associado ao bioma Mata Atlântica. Essa vegetação abriga grande parte das espécies ameaçadas de extinção no estado do Paraná, mas suas áreas consideradas em bom estado de conservação representam menos de 0,8% da área ocupada originalmente pela Floresta com Araucária no território paranaense.

Uma das grandes aves de rapina do país, o gavião-de-penacho pode medir até 65 cm de comprimento. É também uma das espécies mais ameaçadas da Mata Atlântica, considerada “criticamente em perigo” nas listas vermelhas de fauna da maioria dos estados cobertos pelo bioma. No Paraná, a situação do gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus) é perigosa principalmente devido à fragmentação de seu habitat.

“Essa espécie de gavião depende de áreas de florestas nativas bem conservadas para cumprir seu ciclo de vida, ou seja, territórios para alimentação e reprodução”, explica o técnico da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) Romulo Silva, autor da foto. O biólogo ressalta que a redução de áreas de floresta agrava a situação da espécie, que é muito sensível às intervenções humanas e raramente é encontrada na natureza. “O desmatamento da Floresta com Araucária persiste até hoje e contribui na redução das populações da espécie. Se nada for feito para garantir a proteção e recuperação das florestas, a espécie poderá ser extinta do ecossistema em um futuro próximo”, lembra Silva.

 

Área natural adotada

A fotografia foi feita na Fazenda Ribeirão das Pedras, durante um monitoramento da área realizado pela SPVS. A área de Floresta com Araucária da fazenda foi cadastrada pela ONG no Programa Desmatamento Evitado e, em 2012, apoiada pela concessionária Autopista Planalto Sul por meio de uma ação de compensação ambiental. A área está em processo de restauração de vegetação nativa desde então e protege espécies ameaçadas de extinção como o gavião-de-penacho e o papagaio-de-peito-roxo (Amazona vinacea).

O Programa Desmatamento Evitado é desenvolvido pela SPVS há 14 anos, identificando e cadastrando proprietários de áreas naturais em bom estado de conservação, com foco na Floresta com Araucária. O programa funciona como uma “ponte” entre esses proprietários e empresas interessadas em apoiar ações de conservação da natureza.

 

*Este artigo foi escrito pela equipe da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental – SPVS, parceira do Instituto GRPCOM no blog Giro Sustentável.

**Quer saber mais sobre cidadania, educação, cultura, responsabilidade social, sustentabilidade e terceiro setor? Acesse nosso site! Acompanhe o Instituto GRPCOM também no Facebook: InstitutoGrpcom, Twitter: @InstitutoGRPCOM e Instagram: instagram.com/institutogrpcom

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.