i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Inclusilhado

Ver perfil

Site divulga fotos de calçadas mal conservadas de Curitiba

  • Por
  • 26/07/2012 13:20
Site divulga fotos de calçadas mal conservadas de Curitiba
| Foto:

Uma iniciativa colocada em prática por um radialista evidencia de maneira participativa os problemas das calçadas curitibanas. O site Minha Calçada foi ao ar há cerca de um ano e meio e de lá para cá já recebeu mais de 37 mil visitas.

A ideia é bem simples: se você estiver andando pela cidade e encontrar uma calçada mal conservada, com buracos, com entulho, inacabada, ou ainda, encontrar um canto que sequer tem calçada, tire uma foto, ou faça um vídeo. Depois entre no site Minha Calçada e envie o seu material. O seu flagra estará exposto, com a localização pontuada e os créditos das imagens serão dados a você.

Cassarotti
Uma das fotos postadas no site Minha Calçada mostra trecho de calçada na região da Av. República Argentina, na Vila Izabel

O projeto foi idealizado pelo radialista Claudemir Cassarotti, de 52 anos. “Um dia eu li uma matéria sobre uma pesquisa que classificou as calçadas de Curitiba entre as três melhores do Brasil. Eu duvidei e fui até os locais que eles avaliaram. Vi um monte de irregularidades, fotografei e criei o site”, conta.

A mobilização do poder público depois da notoriedade do site existiu, mas de maneira tímida, segundo Claudemir. Ele observou que a Prefeitura chegou a promover reparos em algumas calçadas comentadas na página, mas as obras aconteceram apenas na região central da cidade.

A matéria que divulgou o site Minha Calçada, assinada por Talita Boros, apurou que de acordo com a organização Mobilize, que atua no setor de mobilidade urbana sustentável, Curitiba tem 4.600 km de extensão de ruas e 9.200 km de calçadas. Desse total, pouco mais da metade, 5.520 km, são de calçadas pavimentadas – o restante são trechos com mato, valetas e terra. Dados da organização indicam que menos de 2% estão adequados às normas de acessibilidade.

Uma ação como essa é benéfica para todos. É democrática, sem custo e cobra ação dos responsáveis pela preservação do espaço de circulação pública. Durante a minha conversa com o Claudemir, eu não pude deixar de comentar a ação sob o ponto de vista da pessoa com deficiência. O criador do Minha Calçada me contou que um dos propósitos do site é atender a esse público.

“Uma das coisas que mais me chama a atenção é a falha na construção de rampas rebaixadas nas calçadas. Já vi rampas que são obstruídas por postes, buracos, que estão pela metade, ou ainda que não têm ligação com o outro lado da rua. O cadeirante desce por uma rampa e do outro lado não há nenhuma. Eu sou um simples usuário comum das calçadas, não tenho conhecimento de engenharia, mas eu imagino que é necessário haver um estudo para fazer isso direito, não é mesmo?”

Esse depoimento encerra a ironia.

Clique aqui e conheça o site Minha Calçada. Para mandar a sua foto, ou vídeo, envie um email para minhacalcada@gmail.com.

*Entre em contato com o autor no blog. Escreva para inclusilhado@hotmail.com.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.