i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

João Frey

Foto de perfil de João Frey
Ver perfil

Três nomes disputam o apoio de Ratinho para a prefeitura de Curitiba

  • PorJoão Frey
  • 16/12/2018 09:15
Ratinho Junior (Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo)
Ratinho Junior (Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo)| Foto:

O governador eleito Ratinho Junior (PSD) ainda nem assumiu o comando do estado, mas já há pretensos candidatos à prefeitura de Curitiba que contam com seu apoio nas eleições municipais de 2020: o deputado federal eleito Ney Leprevost (PSD); o deputado estadual eleito Fernando Francischini (PSL); e o atual prefeito, Rafael Greca (PMN). Cada pretendente, tem seus próprios argumentos para conquistar o apoio do governador.

Ney Leprevost parece ter largado na frente. Ele foi indicado secretário da Justiça, Família e Trabalho na futura gestão de Ratinho. Além de confirmar o bom trânsito com o governador, a nomeação mantém Leprevost em Curitiba, já que ele foi eleito deputado federal e passaria boa parte dos próximos dois anos em Brasília. O principal, entretanto, são as possibilidades de articulação política que a secretaria permite.

LEIA MAIS: Rosângela Moro pode assumir cargo no governo Ratinho Junior

Na Justiça, poderá tomar medidas anticorrupção de repercussão na opinião pública; no Trabalho, coordenará iniciativas de combate ao desemprego justamente no momento em que esse é um dos principais problemas do país; e na Família estará à frente da assistência social, área que, por exemplo, fez de Fernanda Richa um nome forte na política local.

A força de Francischini vem da expressiva votação que ele e seu partido, o PSL, conseguiram no Paraná. O deputado é uma das principais vozes do discurso conservador, aparentemente modulado na mesma frequência que a desejada pelo eleitor. O espírito do tempo é seu maior ativo político. Resta saber se a onda durará até 2020.

Já Rafael Greca, apesar de ter apoiado Cida Borghetti (PP) nas eleições deste ano, não está tendo dificuldades em se aproximar de Ratinho. Sob o discurso pragmático de que uma relação entre o prefeito de Curitiba e o governador do Paraná puniria os curitibanos, Greca parece estar conquistando mais um aliado. A seu favor, uma gestão que tem conseguido fazer seu trabalho aparecer em um momento em que boa parte dos gestores pena para cumprir as atividades mais comezinhas, como o pagamento integral e sem atrasos dos salários do funcionalismo.

Acompanhe o blog no Twitter. 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.