i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?

Luta Livre

Foto de perfil de Luta Livre
Ver perfil

Empresário de futebol desafia crise com eventos de MMA

  • PorFernando Rudnick
  • 12/07/2017 15:16
Empresário de futebol desafia crise com eventos de MMA
| Foto:

O Brave Combat Federation volta ao Brasil no próximo dia 12 de agosto, com sua segunda edição em Curitiba. E apesar da crise de investimentos que atinge o MMA nacional, o campeonato tem um plano ousado de expansão.

Até dezembro de 2018, serão oito eventos nacionais, prioritariamente na capital paranaense. Média de um show a cada dois meses.

→LEIA MAIS

Veja o card completo de lutas do Brave 8

“Temos a licença para fazer oito edições em 18 meses. Por sermos de Curitiba, nos sentimos seguros de fazer o evento aqui. Queremos fomentar nossa cidade, nossos atletas. A licença é nível Brasil, mas minha vontade é de não sair de Curitiba. Por isso é importante encher a casa e fazer grandes lutas”, fala o empresário Luiz Alberto Oliveira, dono da LA Sports, que adquiriu os direitos do torneio.

O carro-chefe da empresa é o futebol, mas há quatro anos ela passou também a investir na luta, especialmente na formação de atletas. O primeiro contratado foi o carioca Rafael Carvalho, atual campeão peso-médio (até 84 kg) do Bellator.

Sucesso que Luiz Alberto pretende replicar, apesar do momento de crise, para um campeonato inteiro. Depois do Brave 8, o próximo evento será em dezembro, em local a definir.

“O boom das TVs mudou o futebol. De quatro anos para cá venho enxergando isso no MMA… O boom do MMA é agora. Daqui a dois, três anos as bolsas [de grandes eventos] vão chegar aos mesmos milhões do boxe. Essa luta do McGregor [contra Mayweather] será importante, vai valorizar todo mundo. Acredito que o MMA é o mercado do futuro”, diz.

SIGA O BLOG LUTA LIVRE NO FACEBOOK

Criado em 2016 por Khalid Bin Hamad Al Khalifa, um dos príncipes do Bahrein, o Brave se considera o terceiro maior evento do mundo em termos de mídia. As lutas são mostradas ao vivo em 65 país, por mais de 80 canais de televisão.

Façanha que nem o UFC, nem o Bellator conseguiram, garante o sócio-diretor do Brave no Brasil, Rodrigo Reis.

“O tempo que eles demoraram para chegar nesse nível foi muito maior… Queremos ser o maior evento do mundo. Nosso plano é ambicioso”, avisa.

O Brave 8, no Ginásio do Tarumã, terá duas disputas de cinturão, além de outras 12 lutas. No combate principal, o amazonense Klidson Abreu encara o invicto Timo Feucht, da Alemanha, pelo título dos meio-pesados (até 93 kg).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.